Achado corpo de piloto que sumiu após pouso forçado em rio no meio da selva amazônica, em Roraima

0

Bombeiros acharam corpo durante buscas neste sábado (17). Piloto guiava avião que fez pouso forçado na quarta-feira (14) na Terra Yanomami.

Piloto Elcides Rodrigues Vieira guiava monomtor que fez pouso forçado em rio após pane elétrica (Foto: Arquivo pessoal)

Piloto Elcides Rodrigues Vieira guiava monomtor que fez pouso forçado em rio após pane elétrica (Foto: Arquivo pessoal)

Foi encontrado neste sábado (17) o corpo do piloto Elcides Rodrigues Pereira, de 64 anos, que estava sumido há três dias após um pouso forçado no rio Catrimani, na Terra Indígena Yanomami, em Roraima, informou o Corpo de Bombeiros de Roraima.

De acordo com o comandante dos Bombeiros, coronel Doriedson Ribeiro, o corpo foi achado durante manhã a cerca seis metros do local onde o avião fez o pouso forçado.

Segundo Ribeiro, a família do piloto já foi informada. Ele disse também que o corpo foi transportado de avião para Boa Vista e depois levado ao Instituto Médico Legal (IML).

O avião que o piloto guiava apresentou pane elétrica durante um voo pela Secretaria Estadual de Saúde Indígena (Sesai) com destino à comunidade indígena Marari onde uma criança doente seria resgatada.

Na aeronave, estavam Elcides, que também é conhecido como ‘Peninha’, e o técnico em enfermagem Ednilson Cardoso, de 28 anos, que foi resgatado com vida logo após o pouso pela própria empresa proprietária do avião, a Paramazônia Táxi Aéreo. O voo decolou às 13h e fez o pouso às 14h.

De acordo com o relato do técnico em enfermagem, o pouso forçado foi dentro do rio e ambos sobreviveram ao impacto. Cerca de 1h após o acidente, a empresa mandou resgate, mas o piloto não conseguiu subir no helicóptero, caiu no rio e desapareceu.

“Tentamos muito puxá-lo para dentro do helicóptero, mas ele estava muito molhado e cansado e por isso acabou caindo dentro do rio. Eu desci e fui atrás dele, mas não o achamos mais. Depois de ter ido procurá-lo e conseguir voltar para o helicóptero, apaguei”, relembrou o técnico após ser resgatado.

Apesar do acidente ter ocorrido na tarde de quarta, o Corpo de Bombeiros diz que só foi acionado à noite e enviou equipes de resgate para a região na manhã de quinta.

O proprietário da Paramazônia, Arthur Neto, informou ao G1 que presta solidariedade à família do piloto.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here