Bienal Internacional de Teatro do Ceará tem a primeira edição dedicada às mulheres

0
A abertura, nesta quarta-feira (15), ocorre no Centro Cultural do Banco do Nordeste, em Fortaleza, a partir de 9 horas.  (Foto: Isabel Gouveia)A abertura, nesta quarta-feira (15), ocorre no Centro Cultural do Banco do Nordeste, em Fortaleza, a partir de 9 horas.  (Foto: Isabel Gouveia)

A abertura, nesta quarta-feira (15), ocorre no Centro Cultural do Banco do Nordeste, em Fortaleza, a partir de 9 horas. (Foto: Isabel Gouveia)

“Teatro, Mito e Feminino: Conexões” é o tema da I Bienal Internacional de Teatro do Ceará – BITCE que apresentará ao público as personagens da dramaturgia universal e brasileira, dos mitos e da história. Dedicada às mulheres do mundo em cena, a Bienal ocorre em quatro cidades e será apresentada em duas partes, a primeira neste mês de novembro e a segunda em março de 2018. A abertura, nesta quarta-feira (15), ocorre no Centro Cultural do Banco do Nordeste, em Fortaleza, a partir de 9 horas.

A Bienal na primeira fase contemplará a Espanha e o Brasil – representado pelos estados da Amazônia, Bahia, Ceará e Pernambuco. Terá como palco as cidades de Fortaleza (no período de 14 a 20 de novembro), Juazeiro do Norte (nos dias 17 e 18), e Crato (em 19 e 20). Em novembro serão 57 apresentações com a participação de 44 grupos/artistas entre pesquisadores/criadores, solistas, técnicos, assistentes, produtores e equipes do projeto.

A segunda parte do evento vem com a Itália, França, Portugal e Brasil, incluindo além dos três municípios da primeira fase, a cidade de Sobral, entre os dias 8 a 20 de março de 2018. Toda a programação é gratuita e tem classificação etária 18 anos.

A solenidade de abertura terá a participação especial de Um canto à vida, com as Mulheres Vitoriosas do Projeto Amazonas/Projeto Iracema, ocorre nesta terça-feira (14), às 9 horas, no Centro Cultural do Banco do Nordeste, em Fortaleza. Na sequência, começa o seminário que leva o nome do evento., onde serão discutidos histórias e mitos que passam por Barbara de Alencar, Beata Maria de Araújo, além de personagens femininas do dramaturgo Nelson Rodrigues.

Além do seminário acontecem quatro apresentações no Centro Cultural do Banco do Nordeste. Por volta das 13 horas, começa o Experimento Cênico: Cassandra – Lua Ramos. Na sequência, , às 17 horas, é a vez do Experimento Cênico As troianas – Francinice Campos. Às 19 horas, a programação segue com a Aula-Espetáculo: kali, um drama-oração de Adelice Souza, e às 21 horas, o encontro fecha com o Etnocena – Experimentos Cênicos – Ritual de encerramento – poetas e Rappers: intervenção das Minas do FCH2.

A Bienal continua e se instala no Centro Cultural Belchior na quarta-feira (15) das 9h às 12 e 14h às 17h – com atividades de Multiresidências/ Intercâmbios entre Criadores/ Vivências estéticas poéticas éticas técnicas por Cecilia Raiffer da Universidade Regional do Cariri (URCA) que vai abordar o tema A imagem propulsora na criação da cena teatral. À noite, às 19 horas, o espaço do evento passa a ser no Teatro da Boca Rica, com o Espetáculo Amazônicas, poéticas do mundo (Mitologia Indígena Desana Kehiripõrã)- Acácia Mié Pantoja da Gama.

Na quinta-feira (16), no mesmo local, às 19 horas, o público pode assistir o espetáculo: Obscena. Um encontro com Hilda Hilst, de Fabiana Pirro. Depois entra em cena, às 21 horas, Etnocena – Experimentos Cênicos – Ritual de encerramento. Na programação Kombi do Bem apresenta: Ouri com Raquel Diógenes e Carlos Hardir; Gabriela Savir e Carolina Rebouças – Ghetto Roots: um canto poético a Dandara, a guerreira dos Palmares; e Djuena Tikuna, artista indígena, cantora e atriz da tribo Tikuna da Amazônia

Ainda no mês de novembro, a Bienal Internacional de Teatro do Ceará abre sua programação no auditório Memorial Padre Cícero e no Centro Cultural BNB, na sexta-feira (17) e sábado (18) em Juazeiro do Norte, no sul do Ceará. Depois, a programação segue para a cidade de Crato no domingo (19) e segunda-feira (20) fechando a primeira etapa do projeto.

Em novembro o evento ocorrerá em três cidades, totalizando 57 apresentações, com acesso gratuito. Durante dez dias, participarão 44 grupos/artistas entre pesquisadores/criadores, solistas, técnicos, assistentes, produtores e equipes. Envolvendo diretamente 200 trabalhadores da cultura e mais 500 beneficiados, indiretamente, nas etapas de novembro de 2017 e março de 2018.

Fonte: G1

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here