BLOG: Ainda penso nela…

0

        Domínio do Inter no primeiro tempo. Esperava-se. O LEC surpreendeu com uma chance de gol desperdiçada pelo Carlos Henrique. O fim em 0 a 0 era bom para o Tubarão, naquele contexto de um grande e empolgado público empurrando a equipe mais tradicional do campeonato, que vive sua melhor fase. Esse era o meu sentimento: dadas as circunstâncias, “empate é goleada”. Mas aquela vontade de arrancar um ponto do time que nos arrancou três na estreia, no Café, começou a se frustrar logo no começo da segunda etapa, quando D’Alessandro cobrou falta para a cabeçada na rede do Víctor Cuesta.
        Mas o LEC
não se acovardou com o gol. Vimos então o melhor momento alviceleste na partida. Até que Artur acertou uma pintura de passe, que cruzou a área pelo lado esquerdo e encontrou Bidia para empatar a partida. Diante do momento bom, não deu para não lembrar da virada sobre o Guarani, em Campinas. Tencati sentiu o momento e colocou o time pra cima. Naquela altura do jogo, uma vitória épica, pra dar moral rumo ao acesso, parecia possível. Mas veio o escanteio pelo lado direito. Outra bola levantada na área. Klaus veio de traz e cabeceou livre. Tudo bem. Ainda dava pra tentar buscar aquele objetivo inicial de marcar um ponto. Mas veio o escanteio pelo lado esquerdo. Outra bola levantada na área. Klaus veio de traz e cabeceou livre. Dois gols semelhantes do mesmo zagueiro. O terceiro que tomamos de cabeça, de zagueiro, de bola parada.
        A terceira derrota seguida veio sofrida. A tão desejada vaga na série A, ainda que contra a nossa vontade mais profunda, parece estar ficando distante… Se ainda penso nela? Claro! Mas para que ela nos dê a honra da aproximação, precisaremos mudar. Urge aprender a afastar as bolas aéreas. Urge fazer novamente da nossa casa, o Estádio do Café, um lugar em que ela queira estar… Ficou mais difícil, é verdade… Mas eu já vi, ainda que poucas vezes, o “impossível” se tornar realidade…

 “…Mentira se eu disser
Que não penso mais em você
E quantas páginas o amor já mereceu
Os filósofos não dizem nada
Que eu não possa dizer
Quantos versos sobre nós eu já guardei
Deixa a luz daquela sala acesa
E me peça pra voltar…”
(Amores Imperfeitos – Skank)

 

 

Saudações Alvicelestes!
#VamosPraCimaTubarão
Twitter: @jesabran / @CavalinhoDoTuba

Fonte: GloboEsporte.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here