Bombeiros vistoriam prédio da Prefeitura de Formiga após anúncio de construção de nova sede

0
Prefeito usou a tribuna da Câmara para defender a construção da nova sede (Foto: Prefeitura/Divulgação)Prefeito usou a tribuna da Câmara para defender a construção da nova sede (Foto: Prefeitura/Divulgação)

Prefeito usou a tribuna da Câmara para defender a construção da nova sede (Foto: Prefeitura/Divulgação)

O Corpo de Bombeiros em Formiga atendeu um pedido da Defesa Civil e realizou uma vistoria no prédio da Prefeitura esta semana. Segundo o órgão, foram encontradas irregularidades reincidentes desde 2005. O Executivo divulgou para a imprensa nesta segunda-feira (11) que passou por fiscalização e informou, ainda, que tem ciência dos problemas. Ainda ontem, o prefeito foi até Câmara defender a construção da nova sede.

Na semana passada, o G1 divulgou que a Prefeitura havia enviado um projeto à Câmara Municipal solicitando autorização para financiar cerca de R$ 3 milhões junto ao Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) para construir uma nova sede e assim abrigar as secretarias municipais. Mas para alguns moradores, existem outras prioridades na cidade mais urgentes, como infraestrutura e saúde.

De acordo com o comandante do Pelotão do Corpo de Bombeiros de Formiga, tenente Mateus Campos Cunha, durante a vistoria foram fiscalizados itens de segurança contra incêndio e pânico e encontradas irregularidades que já foram advertidas na última, realizada em 2012.

As irregularidades verificadas pelo Corpo de Bombeiros são referentes às normas e instruções técnicas específicas como: ausência do projeto de segurança contra incêndio e pânico; ausência de auto de vistoria do Corpo de Bombeiros; ausência de luminárias de emergência, ausência de sinalização de emergência; extintores de água e CO2 com carga vencida; presença de mobília nas rotas de fuga; as portas das rotas de saída não abrem no sentido do trânsito de saída.

Ainda de acordo com o tenente Cunha, a Defesa Civil apontou problemas estruturais. Com relação a eles, a Defesa Civil informou que foram detectados que o guarda-corpo da sacada tem altura inferior a 1,30 metro; fiações expostas; portas e janelas danificadas; presença de várias trincas na edificação; existência de desníveis na área externa, sem proteção pro guarda-corpos; presença de vigas nas escadas com altura inferior a dois metros; e ausência de corrimões contínuos no prédio.

“É difícil adaptar o prédio. Temos problemas no telhado do terceiro andar, além de que quando chove temos goteiras. Existem problemas com pombos que podem causar doenças”, informou a coordenadora da Defesa Civil, Vera Moreira.

Segundo o tenente Cunha, a Prefeitura foi advertida e tem 60 dias para fazer as adaptações. “Por se tratar de um bem público especial a não cabe multa. O local não será interditado porque não há risco eminente. Por ser uma repartição pública, não há aglomeração de pessoas como em eventos. A princípio não há hipótese de interdição”, ressaltou.

Extintores de incêndio estão descarregados (Foto: Prefeitura/Divulgação)Extintores de incêndio estão descarregados (Foto: Prefeitura/Divulgação)

Extintores de incêndio estão descarregados (Foto: Prefeitura/Divulgação)

Prefeitura diz que solução é nova sede

Em nota enviada à imprensa, a assessoria de comunicação da Prefeitura disse que “a situação precária do prédio é de conhecimento da administração municipal desde o início da gestão, tendo em vista os recorrentes relatos por parte dos servidores de problemas com a estrutura do imóvel. No entanto, uma reforma de adequação é inviável, tendo em vista o elevado valor que ela custaria e que os serviços ofertados no local teriam de ser levados para outro imóvel”.

Quando questionados sobre as melhorias exigidas, tanto a Prefeitura quanto a Defesa Civil, que é um órgão subordinado ao município, disseram ao G1 que a solução é a construção da nova sede.

O secretário de comunicação da Prefeitura, Welerson de Andrade, informou que as adaptações no prédio são inviáveis. “O Corpo de Bombeiros pede acessibilidade e não tem como colocar um elevador no prédio que é muito antigo, por isso estamos com este projeto de financiamento para a construção da nova sede”, frisou.

Vera, que está na coordenadoria do órgão desde 2002, informou que os problemas foram detectados em 2005. “Ninguém nunca resolveu o problema. Vamos fazer os reparos paleativos como colocar corrimão e recarregar os extintores, mas todas as adaptações teriam um custo muito alto para uma coisa que não será solucionada. Foi aí que constatamos que é melhor construir uma nova sede. Solicitamos urgência nesta vistoria para anexar a documentação que o prefeito apresentou na Câmara”, revelou.

Na segunda-feira (11), o prefeito Eugênio Vilela usou a tribuna da Câmara, durante a reunião ordinária, para defender a construção da nova sede. Segundo a assessoria de comunicação da Prefeitura, o chefe do Executivo apresentou aos vereadores informações da linha de crédito oferecida pelo BDMG e explicou como o novo imóvel vai gerar redução de despesas ao Município e mais acessibilidade aos cidadãos.

No final de agosto, a Prefeitura de Formiga enviou um projeto à Câmara Municipal solicitando autorização para financiar cerca de R$ 3 milhões junto ao Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) para construir uma nova sede para abrigar as secretarias municipais.

De acordo com o chefe de gabinete municipal, Thiago Leão Pinheiro, a Prefeitura funciona atualmente em uma sede própria em um prédio de três andares. As secretarias de Educação, Cultura e Saúde também têm sede própria, mas o município paga aluguel de 22 imóveis para abrigar as demais pastas, postos de saúde, entre outros. Segundo ele, são gastos cerca de R$ 67 mil mensais com os aluguéis.

“Enviamos o projeto para a Câmara que, se for aprovado, vamos enviar a proposta para o BDMG, que vai avaliar se enquadramos ou não no financiamento. Caso aprovado, será um imóvel funcional que será construído em um terreno próprio que ainda estamos avaliando em qual região da cidade. Caso seja feito o financiamento, dentro de oito anos este investimento será pago e teremos uma sede para durar mais de 50 anos, teremos economia anual de cerca de R$ 400 mil e que poderá ser investido em outras demandas da cidade”, concluiu Thiago.

Prédio da Prefeitura passou por vistoria e irregularidades foram encontradas (Foto: Prefeitura/Divulgação)Prédio da Prefeitura passou por vistoria e irregularidades foram encontradas (Foto: Prefeitura/Divulgação)

Prédio da Prefeitura passou por vistoria e irregularidades foram encontradas (Foto: Prefeitura/Divulgação)

Fonte: G1

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here