Celas da Central de Flagrantes ficam inundadas com água de fossa em Porto Velho

0

As celas da Central de Flagrantes de Porto Velho amanheceram inundadas nesta quinta-feira (21). De acordo com funcionários, o entupimento foi provocado por presos que colocaram peças de roupas e até marmitas inteiras em uma das latrinas, fazendo com que a água suja transbordasse e alagasse todas as celas.

Com o mal cheiro da água dos sanitários exalando por toda a delegacia, agentes de plantão explicam que a inundação das celas foram provocadas pelos próprios presos. “O preso as vezes chega aqui revoltado pelo fato de ter sido pego e acaba tendo esse tipo de atitude, de pegar peças de roupas inteiras e as vezes até marmitas e colocar no cano”, relata um funcionário que não quis se identificar.

Outro funcionário conta que não é a primeira vez que isso acontece e que em algumas situações, os próprios servidores acabam tendo que desentupir os canos. “Já aconteceu situações em que eu e outros colaboradores tivemos que usar arames para desentupir. Isso para que a gente não fique trabalhando com esse fedor de fezes”, fala.

O agente Curvelo, que trabalha na parte da administrativa da delegacia, conta que existe um processo para licitar uma empresa de limpa fossa. “Estamos sem firma que possa fazer o serviço. Tem um processo em licitação para contratar uma empresa, mas o nosso maior problema não é só esse, é que os próprios presos acabam causando o transtorno, e uma vez ou outra precisamos de um firma para desentupir. As vezes, um colega da limpeza ou alguém que esteja pagando pena desintupe, mas nem sempre a gente consegue, como é o caso de hoje”, conta.

Caso chegue alguma viatura com um suspeito preso, o agente diz que ele terá que ser colocado na cela apesar do vazamento. “Infelizmente, o preso terá que ficar dentro da cela do jeito que está, porque a gente não tem uma solução para isso. Estamos pedindo um limpa fossa direto, mas por enquanto nada”, esclare Curvelo.

A delegada e diretora da Central de Flagrantes Roseli de Lima explica que a estrutura do local não comporta a maneira como os presos agem nas celas. “Temos uma empresa que extraordinariamente faz a drenagem nas celas, mesmo não tendo contrato de licitação conosco, porém a estruta da Central não comporta a maneira como os presos agem nas celas”, explica.

A delegada conta que a empresa para realizar o trabalho será acionada, mas enquanto não drenarem a água os presos que chegarem na Central ficararão nas celas inundadas. ” Tenho que acionar a empresa para que ela venha realizar o trabalho, provavelmente ela vem amanhã pela manhã. Enquanto isso os presos ficarão como estão,” esclarece.

Fonte: G1 / RO

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here