Como saber a origem de vídeos, SMS e aplicativos falsos: pacotão

0

Se você tem alguma dúvida sobre segurança da informação (antivírus, invasões, cibercrime, roubo de dados etc.) vá até o fim da reportagem e utilize o espaço de comentários ou envie um e-mail para g1seguranca@globomail.com. A coluna responde perguntas deixadas por leitores no pacotão, às quintas-feiras.

>>> Identificando origem de mensagem SMS
Gostaria de saber qual a melhor forma de descobrir endereço ou identificar a pessoal responsável por enviar uma mensagem SMS.

O fato ocorrido foi que recebi mensagens difamadores sobre minha pessoa e descobri que o número que me enviou essa mensagem está no meu CPF.

O número foi adquirido quando troquei de aparelho e tive que comprar outro chip pois o meu não era compatível com o novo aparelho, e fui até a loja da operadora para que o novo chip tivesse meu número anterior, do meu chip velho.

Achei que o número do chip novo seria inutilizado automaticamente, porém outra pessoa se passando por mim ativou o número.

Não sei o que fazer, pode me dizer qual a melhor forma para identificar o responsável?
João Paulo Menoli

João, se a linha foi cadastrada em nome falso (o seu, no caso), é bastante difícil de identificar o responsável. Será preciso uma investigação da polícia, com auxílio da operadora.

Não há muito que você possa fazer, como indivíduo, para rastrear o responsável. Embora você possa contratar um advogado para tentar, é improvável que esse esforço valha a pena.

>>> Descobrindo a origem de um vídeo
Recebi um vídeo no WhatsApp e gostaria de saber se há alguma forma de saber sua origem ou simplesmente quem postou no YouTube. Tem alguma forma?
Rosemary Matos

Se o vídeo foi publicado no YouTube, é possível ver os dados associados à conta que enviou o vídeo. Em alguns casos, há informações pessoais disponíveis sobre a pessoa. Em outros, será preciso uma ordem judicial para obter dados junto ao Google e ao provedor para identificar o responsável pelo envio.

No caso do WhatsApp, não há meio de simplesmente rastrear de onde um vídeo partiu. Você teria de consultar cada pessoa que compartilhou o vídeo até chegar ao possível usuário que compartilhou o vídeo pela primeira vez. Dito isso, se o vídeo foi compartilhado poucas vezes, isso até pode ser viável.

WhatsApp falso (esquerda) e legítimo (direita) no Google Play. (Foto: E_x_Lnc/Reddit/Reprodução)

>>> Propagandas e apps falsos: WhatsApp
Sobre a matéria do WhatsApp falso no Google Play, será que vocês poderiam explicar quais são os possíveis danos de quem o baixou e o que podemos fazer, por favor!
Gé Lelis

No caso do “Update WhatsApp Messenger”, que chamou atenção por conseguir um milhão de downloads, não há informações claras sobre quaisquer danos que seriam causados ao telefone. No momento, a única orientação é desinstalar o app e a questão está resolvida.

Se você quer garantir que seu celular não sofra nenhum problema, você pode restaurar o aparelho às configurações de fábrica. Isso pode ser feito nas “Configurações” do aparelho.

Se decidir restaurar, você perderá as informações armazenadas no celular, mas diversos aplicativos (inclusive o WhatsApp) fornecem alguma opção de backup. Basta configurar tudo certinho antes de ativar essa funcionalidade para que você consiga recuperar praticamente tudo ao reconfigurar o telefone. Procure as opções de backup em cada aplicativo que possui dados que você deseja manter.

Ao restaurar o celular, você terá que reinstalar todos os aplicativos que você instalou. Por isso, esse procedimento garante que não fique qualquer rastro de aplicativos instalados por engano.

>>> Propagandas e apps falsos: Viber
Estava lendo sobre WhatsApp falso na Google Play, e uma coisa me chamou atenção, uso também o Viber, que depois de atualização começou aparecer propagandas, que antes não tinha. Será que está seguro?
Grata pela atenção
Neuci

Neuci, atualizações de apps (que ocorrem automaticamente e são baixadas da mesma fonte que o aplicativo original no Google Play) são quase sempre seguras. Até o momento, não há relato de algum ataque que tenha comprometido algum aplicativo de maneira severa través do mecanismo de atualização.

Quando a atualização ocorre automaticamente, o Google Play garante que ela é baixada exatamente do mesmo desenvolvedor que o aplicativo original. Portanto, o aplicativo será legítimo, a não ser que o próprio desenvolvedor do app seja malicioso ou sofra ataque de hackers. Isso tem ocorrido com extensões do Chrome.

No caso do Viber, a exibição de anúncios dentro do aplicativo é prevista pelo desenvolvedor, então não há nada de anormal nesse comportamento. Não há com o que se preocupar.

O pacotão da coluna Segurança Digital vai ficando por aqui. Não se esqueça de deixar sua dúvida na área de comentários, logo abaixo, ou enviar um e-mail para g1seguranca@globomail.com. Você também pode seguir a coluna no Twitter em @g1seguranca. Até a próxima!

Fonte: G1

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here