Em protesto, professores e alunos de escola do AP reclamam de assédio moral e falta de estrutura

0

Na manhã desta quarta-feira (6) professores e alunos da Escola Estadual José Firmo do Nascimento, no bairro Trem, Zona Sul de Macapá, protestaram contra casos denunciados pelos funcionários, que teriam sofrido assédio moral por parte da equipe gestora. Já os estudantes relataram que não há estrutura adequada para as turmas de ensino médio integral na instituição.

A Secretaria de Estado da Educação (Seed) informou, em nota, que não foi notificada sobre denúncia de assédio moral na instituição. Porém, informa que convocará uma reunião, imediatamente, junto à equipe gestora da escola, além de alunos e professores, para tratar sobre os temas.

Cerca de 100 pessoas participaram da manifestação, que iniciou por volta de 8h, com cartazes no salão de entrada do prédio. De acordo a professora Luciane Malcher, uma das vítimas teria sido insultada pela coordenação pedagógica na escola, na presença de outros servidores e estudantes. Ela reforçou que outros colegas também sofrem humilhações.

“O ápice desses abusos ocorreu na terça-feira [dia 5] quando um homem, que é um antigo funcionário da escola, foi insultado na presença de muitas pessoas, de forma humilhante. Vários professores também sofreram assédio moral na sala de coordenação pedagógica. A equipe gestora é problemática e reivindicamos a saída dela e melhorias para a instituição”, reclamou a educadora.

A professora de língua francesa Rosiane Brito informou que chegou a ser ameaçada após questionar eventuais mudanças que poderiam ocorrer na escola. “Ouvi em tom de ameaça que iriam tirar meu cargo, porque eu sempre questiono as coisas e não estava aceitando algumas mudanças. Infelizmente essa situação está insuportável”, enfatizou.

De acordo com os alunos, a instituição de ensino não oferece banheiros suficientes para os quase 200 estudantes do ensino médio integral e a quadra de esportes está com a estrutura comprometida. Eles reclamam ainda da qualidade dos alimentos servidos no horário de almoço, falta de espaço para descanso e armário para os alunos guardarem materiais escolares.

As aulas do novo modelo de ensino acontecem desde abril em oito escolas de Macapá e Santana, e cerca de 1,3 mil alunos foram matriculados. Na matriz curricular, além das disciplinas obrigatórias, os estudantes contam também com disciplinas eletivas, que são escolhidas de acordo com seu objetivo.

A Seed ressaltou que ao longo do ano, a Coordenadoria de Rede Física concluiu na escola a manutenção predial, que inclui reforma elétrica, climatização, pintura e reforma dos banheiros e que as obras de ampliação serão executadas pela Secretaria de Estado da Infraestrutura (Seinf) no início de 2018.

A pasta reforçou ainda que não foi notificada sobre qualquer tipo de suspensão ou má qualidade da alimentação fornecida. No entanto, vai intensificar o acompanhamento nutricional e fiscalização, através do Núcleo de Alimentação.

Fonte: G1

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here