Ex-coreógrafo de Madonna fala sobre legado de 'Vogue' e status da diva com público LGBT: 'Dei isso a ela'

0

José Gutierrez, ex-bailarino e coreógrafo da Madonna, falou sobre carreira com exclusividade ao G1 (Foto: Johnny Rosza/Divulgação)José Gutierrez, ex-bailarino e coreógrafo da Madonna, falou sobre carreira com exclusividade ao G1 (Foto: Johnny Rosza/Divulgação)

José Gutierrez, ex-bailarino e coreógrafo da Madonna, falou sobre carreira com exclusividade ao G1 (Foto: Johnny Rosza/Divulgação)

José Gutierrez poderia ter acabado como muitos de seus colegas, afundado em vícios, ou como um coreógrafo e dançarino comum da Zona Leste de Nova York (EUA). No entanto, o artista, que é destaque na 10ª Bienal de Dança, em Campinas (SP), foi um dos responsáveis por trazer a “dança voguing” da periferia e consagrá-la no clipe ‘Vogue’ (1990). A montagem garantiu um dos maiores sucessos da carreira de Madonna, e ainda deixa um legado na cultura pop e na comunidade LGBT.

Gutierrez falou com exclusividade ao G1 sobre os bastidores deste sucesso e do cotidiano dos dançarinos da época.

“Eu sinto que solidificou o status que ela tem na comunidade gay, ela é rainha! ‘Vogue’ foi o número um, e ainda é considerado o melhor vídeo e performance de todos os tempos, a maior era de sua carreira, isso é conhecido pelos críticos. E eu dei isso a ela”, afirma.

O coreógrafo e bailarino José Gutierrez com Madonna (Foto: José Gutierrez/Arquivo pessoal)O coreógrafo e bailarino José Gutierrez com Madonna (Foto: José Gutierrez/Arquivo pessoal)

O coreógrafo e bailarino José Gutierrez com Madonna (Foto: José Gutierrez/Arquivo pessoal)

A dança guiada por poses é uma mistura de jazz, hip hop, balé e dança moderna. Assista, abaixo, ao clipe ‘Vogue’.

Nesta segunda-feira (18), Gutierrez faz um bate-papo no Teatro do Sesc, a partir das exibições de “Paris is Burning” e “Strike a Pose”. Já na terça (19), realiza um workshop de dança “voguing”. Os ingressos para as duas atividades já estão esgotados.

Influência da comunidade

José Gutierrez, mais conhecido como José Xtravaganza, cresceu na periferia de Nova York, onde conviveu de perto com o desenvolvimento dos DJs, da cultura Drag Queen e da dança de rua. Também frequentava muitos bailes da comunidade LGBT, em que uma dança guiada por poses começou a chamar sua atenção.

“Crescer em Nova York sempre inspirou minha criatividade em muitas maneiras. As ruas, a arte, a música, são todas interpretações de uma forma de arte. Essas coisas têm sido influentes em todo o meu trabalho, não apenas como um voguer, mas como um artista”, pontua.

Para ele, que teve a oportunidade de frequentar uma grande escola de dança, o ambiente em que cresceu ainda é o maior responsável pelo seu sucesso.

“A comunidade é o que fez minha arte diferente do resto. A comunidade está cheia de paixão, amor e aspirações, e é daí que eu tirei o máximo, onde eu pude explorar minha singularidade. É difícil conseguir isso em uma escola onde você deve seguir as regras e é ensinado por um livro”, explica.

José Gutierrez, ex-coreógrafo e bailarino da Madonna, participa do clipe 'Vogue' (1990) (Foto: Reprodução/Youtube)José Gutierrez, ex-coreógrafo e bailarino da Madonna, participa do clipe 'Vogue' (1990) (Foto: Reprodução/Youtube)

José Gutierrez, ex-coreógrafo e bailarino da Madonna, participa do clipe ‘Vogue’ (1990) (Foto: Reprodução/Youtube)

Entretanto, o mesmo ambiente também trouxe algumas influências mais sombrias. Alguns dançarinos da época, inclusive que trabalharam com Madonna, se envolveram com drogas ou contraíram Aids, e muitos deles não sobreviveram.

“Somos muito sensuais e amorosos em nossa comunidade, muito curiosos e inocentemente promíscuos. Eu diria que naquela época não sabíamos muito sobre os efeitos das coisas. Foi um momento diferente, o começo do fim para alguns que simplesmente não sabiam que não tinham educação, só tinham o medo”, conta.

Ex-bailarino e coreógrafo da Madonna, José Gutierrez (Foto: Johnny Rosza/Divulgação)Ex-bailarino e coreógrafo da Madonna, José Gutierrez (Foto: Johnny Rosza/Divulgação)

Ex-bailarino e coreógrafo da Madonna, José Gutierrez (Foto: Johnny Rosza/Divulgação)

Ele não deixa claro que tipo de envolvimento teve com isso, mas afirma que o importante é poder estar vivo para contar.

“Na minha carreira, experimentei a vida e suas distrações, quando os amores são perdidos e as vidas perdidas. Quando adolescente, eu vi muita coisa boa e ruim. Mas eu sobrevivi, e isso é o que me fez, e de forma estranha me inspirou a continuar. Eu fiz isso, é a maneira como eu vejo. Estou aqui para algo que tenho para compartilhar, para contar”, afirma.

O artista fez parte da turnê de Madonna “Blond Ambition”, que deu origem ao documentário “Strike a Pose” (2016). O filme mostra, depois de 25 anos, o reencontro dos dançarinos que fizeram parte deste trabalho, os quais falam sobre suas experiências durante e após esse período.

José Gutierrez, Madonna e outros bailarinos em momento do trailler do documentário 'Strike a Pose' (2016) (Foto: Reprodução/Youtube)José Gutierrez, Madonna e outros bailarinos em momento do trailler do documentário 'Strike a Pose' (2016) (Foto: Reprodução/Youtube)

José Gutierrez, Madonna e outros bailarinos em momento do trailler do documentário ‘Strike a Pose’ (2016) (Foto: Reprodução/Youtube)

“Minha vida ainda está mudando principalmente por causa dessa turnê. Ter trabalhado com Madonna ainda está me dando oportunidades de mudança de vida. Para mim, foi uma bênção”, comenta.

O coreógrafo também participou do documentário “Paris is Burning” (1990), um retrato da cultura dos bailes em casas noturnas de Nova York na década de 80, frequentados pelas comunidades gay, afro e latino americana, na época, ainda mais excluídas socialmente do que hoje.

“Eu acho que [o documentário] foi um modelo para abrir a mente e os corações das pessoas. Para nós sempre foi sobre a sobrevivência em um mundo onde as chances podem estar contra você por causa de quem você é e quem você quer ser e como você quer viver. ‘Paris is Burning’ não é arte imitando a vida. É a vida”, ressalta.

Madonna, o bailarino José Gutierrez e os demais dançarinos em momento do trailler do documentário 'Strike a Pose' (2016) (Foto: Reprodução/Youtube)Madonna, o bailarino José Gutierrez e os demais dançarinos em momento do trailler do documentário 'Strike a Pose' (2016) (Foto: Reprodução/Youtube)

Madonna, o bailarino José Gutierrez e os demais dançarinos em momento do trailler do documentário ‘Strike a Pose’ (2016) (Foto: Reprodução/Youtube)

Ele pode não ser tão famoso quanto Madonna, mas é fato que seu trabalho ainda é uma referência não só para a cultura pop, mas para minorias que ainda reivindicam seus direitos, como os negros, os latinos e os gays.

“Vejo essa influência agora mais do que nunca. Em vídeos de música, pistas, televisão, está sendo ensinado em escolas de dança em todo o mundo. Tudo o que posso fazer é contar a minha história com esperança de que ela inspire, mesmo que seja apenas de uma pessoa. Então eu terei feito o meu trabalho”, conclui.

José Gutierrez atuou em alguns trabalhos com Madonna (Foto: José Gutierrez/Arquivo pessoal)José Gutierrez atuou em alguns trabalhos com Madonna (Foto: José Gutierrez/Arquivo pessoal)

José Gutierrez atuou em alguns trabalhos com Madonna (Foto: José Gutierrez/Arquivo pessoal)

Fonte: G1

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here