Governo espanhol quer dar 'golpe de Estado de fato', diz presidente do parlamento da Catalunha

0
Presidente do parlamento da Catalunha, Carme Forcadell, faz pronunciamento neste sábado (21) em Barcelona; ela acusa governo espanhol de querer promover 'golpe de Estado de fato' e atentado contra a democracia (Foto: Rafael Marchante/Reuters)Presidente do parlamento da Catalunha, Carme Forcadell, faz pronunciamento neste sábado (21) em Barcelona; ela acusa governo espanhol de querer promover 'golpe de Estado de fato' e atentado contra a democracia (Foto: Rafael Marchante/Reuters)

Presidente do parlamento da Catalunha, Carme Forcadell, faz pronunciamento neste sábado (21) em Barcelona; ela acusa governo espanhol de querer promover ‘golpe de Estado de fato’ e atentado contra a democracia (Foto: Rafael Marchante/Reuters)

A presidente do Parlamento catalão, Carme Forcadell, acusou o neste sábado (21) o primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy, de querer promover um “golpe de Estado de fato” contra a Catalunha, informa a imprensa local. Em discurso transmitido pela TV, ela falou ainda em “ataque à democracia”.

O pronunciamento foi feito depois de o Conselho de Ministros da Espanha tomar a decisão de assumir o controle da Catalunha e destituir o presidente regional, Carles Puigdemont, além de todos os seus conselheiros, em aplicação do artigo 155 da Constituição.

O governo também anunciou que fará eleições regionais na Cataluna em um prazo de seis meses. Essas medidas ainda precisam de aprovação do Senado.

O presidente catalão anunciou que fará um pronunciamento oficial às 21h (17h do horário de Brasília).

Em discurso transimitido pela TV, Carme Forcadell disse que “o primeiro-ministro Rajoy quer que o parlamento da Catalunha deixe e ser um parlamento democrático, e nós não vamos permitir que isso aconteça”.

“É por sso que queremos enviar aos cidadãos deste país uma mensagem de firmeza e esperança. Nos comprometemos hoje, após o mais grave ataque contra as instituições catalãs desde a restauração, a defender a soberania do parlamento da Catalunha.”

Milhares vão às ruas na Catalunha

Manifestantes se reúnem em Barcelona, na Espanha, para protestar contra decisão do governo da Espanha para restabelecer a ordem constitucional na região (Foto: AP Foto/Emilio Morenatti)Manifestantes se reúnem em Barcelona, na Espanha, para protestar contra decisão do governo da Espanha para restabelecer a ordem constitucional na região (Foto: AP Foto/Emilio Morenatti)

Manifestantes se reúnem em Barcelona, na Espanha, para protestar contra decisão do governo da Espanha para restabelecer a ordem constitucional na região (Foto: AP Foto/Emilio Morenatti)

Autoridades da Catalunha, entre elas o presidente regional, Carles Puigdemont, e milhares de pessoas participam de uma grande manifestação no centro de Barcelona contra as medidas decididas neste sábado pelo governo.

Com gritos de “independência”, o protesto foi organizado com o lema: “Em defesa dos direitos e das liberdades”. A manifestação já tinha sido convocada há alguns dias para exigir a liberdade de dois líderes de entidades sociais independentistas que foram detidos.

Os dois foram presos provisoriamente por ordem da Audiência Nacional da Espanha acusados do crime de “insurreição” por promover o assédio à Guarda Civil em Barcelona quando os agentes federais faziam uma operação em uma sede do governo regional em setembro.

O vice-presidente regional da Catalunha, Oriol Junqueras, pediu que a população participe do protesto depois das medidas tomadas pelo governo de Mariano Rajoy. Para ele, os cidadãos devem proteger a Catalunha do totalitarismo.

Presidente Catalão Carles Puigdemont participa de manifestação contra decisão do Conselho de Ministro da Espanha de assumir controle da Catalunha (Foto: AP Photo/Manu Fernande)Presidente Catalão Carles Puigdemont participa de manifestação contra decisão do Conselho de Ministro da Espanha de assumir controle da Catalunha (Foto: AP Photo/Manu Fernande)

Presidente Catalão Carles Puigdemont participa de manifestação contra decisão do Conselho de Ministro da Espanha de assumir controle da Catalunha (Foto: AP Photo/Manu Fernande)

O Senado precisa criar uma comissão para debater as medidas, que nunca foram aplicadas anteriormente. Segundo uma porta-voz da Casa Legislativa, a comissão provavelmente se reunirá no dia 23 de outubro.

Em seguida, o líder da Catalunha, Carles Puigdemont, terá uma oportunidade de responder. O Senado inteiro, onde o governista Partido Popular (PP) tem maioria, votaria sobre as medidas no dia 27 de outubro.

Madri vai aplicar o artigo 155 da Constituição depois do prazo dado para que o presidente do governo regional da Catalunha, Carles Puigdemont, esclarecesse se realmente declarou a independência da região durante a sessão plenária, no último dia 10.

Em sua carta enviada ao governo central, o líder catalão pede um diálogo para a opção de renunciar essa declaração de independência que, afirma ele, o parlamento regional não votou no dia 10. Puigdemont alerta, no entanto, que se a Espanha persistir em impedir o diálogo, o Parlamento poderá proceder a votação da declaração formal de independência.

A ativação do artigo 155 representa um movimento sem precedentes desde que a Espanha retomou a democracia, na década de 1970. Se a medida prosperar, a suspensão da autonomia não é automática, pois depende da aprovação do Parlamento, o que pode acontecer até o fim da próxima semana.

 Primeiro-ministro espanhol Mariano Rajoy (Foto: AP Photo/Paul White) Primeiro-ministro espanhol Mariano Rajoy (Foto: AP Photo/Paul White)

Primeiro-ministro espanhol Mariano Rajoy (Foto: AP Photo/Paul White)

Fonte: G1

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here