Greve de agentes penitenciários no PI suspende visitas e familiares protestam

0

A greve dos agentes penitenciários deflagrada nesta segunda-feira (11) causou revolta nos familiares de presos. Isso porque todos foram impedidos de visitar os detentos, já que devido à mobilização grevista ficarão suspensas as visitas íntimas e de advogados, a transferência de presos entre presídios e deslocamento para audiências em todas as unidades prisionais do estado.

Os agentes afirmam que a greve é por tempo indeterminado. Segundo a categoria, o movimento foi deflagrado após descumprimento de acordo coletivo firmado no Tribunal de Justiça.

Um grupo de mulheres esperava desde 5h para visitar os filhos, amigos e esposos que se encontraram detidos na Casa de Custódia em Teresina. Muitas relataram que souberam do movimento apenas quando chegaram ao presídio.

Latla Carvalho e Renata Queiroz saíram de Imperatriz, no Maranhão, às 15 h de domingo (10) e foram surpreendidas com a paralisação quando chegaram em Teresina por volta de 5h desta segunda-feira. Elas vieram visitar os maridos que foram presos há dois meses suspeitos de tráfico de drogas.

“A gente gasta comprando passagem de ônibus e comida pra trazer para nossos companheiros, mas tudo foi em vão, pois eu não vou vê-lo. Venho visitar uma vez por mês e gastei o pouco que tinha. Agora, visita só no outro mês”, lamentou Latla.

Renata questiona a falta de aviso prévio sobre greve e a paralisação. “Por que não avisam antes? Assim não teríamos gastado o pouco dinheiro que tenho. Gasto em média R$ 500 comprando passagem e comida. Nem sei o que fazer com tanta comida que trouxe”, disse.

A aposentada Elizazeth Lima veio conversar com filho que está com gripe há uma semana. Ela mora no bairro Angelim e nas sacolas trazia comida e remédios. “Ele foi preso suspeito de homicídio. Foi a primeira vez que foi detido, mas tenho certeza que não vai mais cometer nenhum crime porque reclama da estrutura e da comida. Anda com micose e ninguém cuida por isso trouxe remédios”, afirmou a aposentada.

Assistentes sociais da Casa de Custódia informaram aos parentes que não há previsão para encerramento da paralisação e pediram para eles retornaram para suas residências.

Ainda de acordo com o sindicato, a categoria também reivindica melhores condições de trabalho e contratações de novos agentes já aprovados em concurso realizado pela Secretaria de Justiça. A categoria reclama de sobrecarga de trabalho, já que o sistema prisional conta atualmente com 4.600 presos.

Em resposta, o secretário de Justiça Daniel Oliveira lembrou da situação financeira do estado e das dificuldades para manter a folha em dia. Ele destacou que os servidores já tiveram um reajuste de 6% este ano e que já entrou, através da Procuradoria Geral do Estado (PGE), com o pedido de decretação da ilegalidade da greve.

Fonte: G1

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here