Incidente no metrô é o quinto ataque terrorista no Reino Unido em 2017

0
Vítima do ataque em metrô de Londres é atendida pelos serviços de emergência (Foto: Kevin Coombs/Reuters)Vítima do ataque em metrô de Londres é atendida pelos serviços de emergência (Foto: Kevin Coombs/Reuters)

Vítima do ataque em metrô de Londres é atendida pelos serviços de emergência (Foto: Kevin Coombs/Reuters)

A explosão desta sexta-feira (15) que deixou 23 feridos no metrô de Londres é o quinto incidente terrorista registrado no Reino Unido em 2017.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, informou nesta que o Reino Unido mantém o alerta terrorista no nível “grave”, o quarto em uma escala de cinco. Ainda segundo a premiê, a bomba utilizada foi concebida para causar enormes danos.

“O dispositivo explosivo era destinado a provocar enormes danos”, declarou May em uma mensagem televisionada, após uma reunião de emergência de seu gabinete.

Veja outros ataques ocorridos no Reino Unido em 2017.

Um ataque fora do Parlamento britânico, em Londres, deixou cinco mortos, incluindo o terrorista, em 17 de março de 2017.

Ataque termina com cinco mortos, incluindo o terrorista, na área do Parlamento em Londres

Ataque termina com cinco mortos, incluindo o terrorista, na área do Parlamento em Londres

O ataque, que demorou 82 segundos, começou quando o britânico Khalid Masood atropelou um grupo de pessoas que passavam pela Ponte de Westminster, diante do Big Ben.

Em seguida, ele deixou o carro e avançou em direção ao Parlamento, atacando com uma faca um policial, que não resistiu e morreu. O agressor foi morto.

O atentado foi reivindicado pelo grupo Estado Islâmico, mas a polícia disse que não havia evidência de que o autor fosse associado à organização extremista.

No dia 22 de maio, um terrorista suicida, Salman Abedi, detonou uma bomba de fabricação caseira em uma saída da Manchester Arena, logo após o término do show da estrela do pop, provocando a morte de 22 pessoas, entre as quais sete eram menores. Outras 116 pessoas ficaram feridas. O atentado foi reivindicado pelo Estado Islâmico.

Já são nove os presos suspeitos do atentado em show de Ariana Grande

Já são nove os presos suspeitos do atentado em show de Ariana Grande

No começo de junho, menos de um mês após o ataque, a cantora se apresentou na cidade inglesa no evento One Love Manchester, que reuniu vários artistas com o objetivo de arrecadar fundos para as vítimas do atentado.

O atentado de Manchester foi o mais grave ocorrido no Reino Unido desde julho de 2005, quando uma série de atentados causou a morte de 52 pessoas, entre eles quatro suicidas, e deixou 700 feridos no metrô e em um ônibus de Londres.

Três terorristas atropelaram várias pessoas na London Bridge e, depois, esfaquearam clientes e funcionários de bares e de restaurantes do Borough Market. Oito pessoas morreram, e os autores do atentado – Khuram Shazad Butt, Rachid Redouane e Youssef Zaghba – foram mortos pelas forças de segurança de Londres.

Ação terrorista se concentrou na London Bridge e no Borough Market

Ação terrorista se concentrou na London Bridge e no Borough Market

O trio, que usou uma van para perpetrar o ataque, havia tentado alugar um caminhão para usá-lo na ação. O Estado Islâmico assumiu a autoria do ataque.

Em 19 de julho, um homem jogou uma van sobre um grupo de muçulmanos que saiam de uma mesquita em Finsbury Park, no norte de Londres. Uma pessoa morreu e dez ficaram feridas.

O motorista Darren Osborne, de 47 anos, acusado de islamofobia, foi contido pela população e preso logo em seguida.

Van atropela fiéis perto de mesquita em Londres e deixa um morto e dez feridos

Van atropela fiéis perto de mesquita em Londres e deixa um morto e dez feridos

O ataque ocorreu no período do Ramadã, período sagrado para os muçulmanos, em que eles costumam jejuar do alvorecer até o anoitecer. O grupo atingido pelo veículo prestava socorro para uma pessoa que tinha passado mal e aguardava a chegada de uma equipe de emergência.

Fonte: G1

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here