Menina de 9 anos escreve 2º livro infantil no interior de Rondônia

0

Milene ama ler livros e por isso decidiu escrever os livros da trilogia da Detetive Green (Foto: Rogério Aderbal/G1)Milene ama ler livros e por isso decidiu escrever os livros da trilogia da Detetive Green (Foto: Rogério Aderbal/G1)

Milene ama ler livros e por isso decidiu escrever os livros da trilogia da Detetive Green (Foto: Rogério Aderbal/G1)

Apaixonada por leitura desde os primeiros anos de vida, a pequena Millene de Oliveira Moreira surpreendeu a família ao escrever o primeiro livro infantil aos 7 anos. A ideia de deixar de ser apenas espectadora e escrever sua própria história surgiu enquanto ela se recuperava de uma cirurgia. Agora, aos 9 anos, a garotinha que não tem medo de desafio acaba de escrever o segundo livro e já faz planos para produzir o terceiro da série.

Millene mora com a família em Cacoal (RO), a 480 quilômetros de Porto Velho, mas já encarou longas viagens para São Paulo, onde realiza tratamento para corrigir uma deficiência na perna. O segundo livro da menina está escrito, porém, a família ainda não possui recursos financeiros o suficiente para produzir e publicar os primeiros exemplares.

Assim como o primeiro livro, a nova obra é baseada nas aventuras de uma detetive que procura encontrar solução para alguns problemas. “Sempre gostei de assistir e ler histórias de detetives, então decidi escrever alguma coisa nesse sentido. No primeiro livro pensei em colocar o título com um nome em português e outro em inglês. Aí ficou Detetive Green ou Detetive Verde. E esse chamará A Detetive Green e o Portal do Tempo”, revela.

Milene exibe com orgulho seu primeiro livro escrito há dois anos (Foto: Rogério Aderbal/G1)Milene exibe com orgulho seu primeiro livro escrito há dois anos (Foto: Rogério Aderbal/G1)

Milene exibe com orgulho seu primeiro livro escrito há dois anos (Foto: Rogério Aderbal/G1)

A foco da história, segundo a autora, é a investigação de um portal que leva as pessoas para o futuro, passado e retorna para o presente.

“Sempre pensei em fazer a trilogia da Detetive Green criança, adolescente e adulta. No próximo livro falarei da fase adulta da vida dela”, adianta.

Com mais de 50 títulos lidos, Millene explica que o interesse pela leitura teve início ainda nos primeiros anos de vida. “Meu pai e minha mãe sempre leram para mim e meus irmãos. Com isso, passei a me interessar pelas histórias e queria ler também. Depois passei a ler os livros que minha irmã mais velha estava lendo. Agora empresto a ela os livros que ela não teve oportunidade de ler”, diz.

Millene conta que, além da imaginação e a criatividade para criar as histórias, a leitura também o ajuda a manter um bom desempenho escolar. “A leitura me ajuda bastante a interpretar os conteúdos em todas as disciplinas. Por causa disso, sempre tento incentivar meus colegas a ler também”, relata.

Enquanto o segundo livro não é publicado, Milene continuará lendo livros e começará a escrever o terceiro livro (Foto: Rogério Aderbal/G1)Enquanto o segundo livro não é publicado, Milene continuará lendo livros e começará a escrever o terceiro livro (Foto: Rogério Aderbal/G1)

Enquanto o segundo livro não é publicado, Milene continuará lendo livros e começará a escrever o terceiro livro (Foto: Rogério Aderbal/G1)

A percepção de que a leitura ajuda a pequena autora a se desenvolver na escola é compartilhado também pela professora dela, Clarisse Teodoro. “A Millene é uma aluna muito dedicada e pelo fato dela gostar de ler, tem facilidade de interpretar outras disciplinas. Além da leitura, ela gosta de interpretar e produzir peças. O mais legal é que ela não escolhe o papel principal. Isso é algo que admiro muito nela também”, destaca.

O pai de Millene, o professor de educação física Luiz Cesar Moreira, conta que o interesse da filha foi incentivado pela mãe dela e pela primeira escola que ela frequentou. “A minha esposa gosta de ler para as meninas e Millene sempre se interessou pelas histórias. A primeira escola que ela estudou também se preocupa muito com a questão da leitura e isso colaborou bastante para o desenvolvimento intelectual dela”, explica.

Inspiração e superação

A vontade de Millene em fazer algo diferente, segundo Luiz, surgiu enquanto estava em São Paulo se recuperando de uma cirurgia feita para corrigir uma deficiência congênita no membro inferior direito, tendo em vista que nasceu com uma perna menor e um problema no pé direito.

Luiz Cesar Moreira conta que o interesse da filha foi incentivado pela mãe dela (Foto: Rogério Aderbal/G1)Luiz Cesar Moreira conta que o interesse da filha foi incentivado pela mãe dela (Foto: Rogério Aderbal/G1)

Luiz Cesar Moreira conta que o interesse da filha foi incentivado pela mãe dela (Foto: Rogério Aderbal/G1)

Ela nos pediu para fazer um blog ou um vlog, então gravamos um vídeo com ela interpretando uma canção e postamos no Facebook. Gostamos muito, mas percebemos que seria muito complicado postar vídeos diários na internet, por isso decidimos liberar o computador para ela escrever e depois de alguns dias o texto original do livro já estava escrito”, diz.

Ainda de acordo Luiz, o primeiro livro foi produzido em São Paulo, com as orientações de Millene. “Como forma de incentivá-la, quando ela terminou de escrever, buscamos apoio da família, amigos e de empresários, onde publicamos alguns exemplares”, esclarece.

Já o segundo livro está escrito, porém, a família ainda não dispõe de recursos financeiros suficientes para produzir e lançar. “Fizemos a impressão de mais 300 exemplares da primeira edição. Se a gente conseguir vender todos e conseguir mais algum apoio vamos tentar publicar a segunda história ainda este ano, caso contrário, vamos adiar mais um pouco”, revela.

Fonte: G1 / RO

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here