Policia apreende armas e animais silvestres mortos na zona rural de Vilhena

0

Seis pessoas e nove armas foram apreendidos na operação. Animais silvestres foram encontrados mortos nos locais.

Animais mortos apreendidos foram incinerados em Vilhena (Foto: Christian Wentz/G1)

Animais mortos apreendidos foram incinerados em Vilhena (Foto: Christian Wentz/G1)

O Grupo de Operações Especiais (GOE), em conjunto com o Núcleo de Inteligência (NI), apreendeu seis pessoas e nove armas de fogo nesta sexta-feira (11) na zona rural de Vilhena (RO), no Cone Sul. Com os suspeitos também foram encontrados animais silvestres abatidos.

Conforme o boletim de ocorrência, o NI da Polícia Militar (PM) passou para o GOE cumprir um mandato de prisão em aberto contra um homem de 51 anos, que estava em um sítio a cerca de 70 quilômetros de Vilhena.

O local é na região da Fazenda Vilhena, onde ocorreu uma chacina no ano de 2015 e frequentemente são presas pessoas com armamento e em ligação com a Liga dos Camponeses Podres (LCP).

Ao chegarem ao local, o suspeito avistou os militares e empreendeu fuga, se escondendo na mata. Os militares fizeram buscas e não o encontraram.

Logo depois, em uma residência no sítio, os militares avistaram um casal, um homem de 55 anos e uma mulher de 53. Na área da residência havia quatro “porcos do mato” abatidos. Durante a abordagem, o homem disse que os animais foram mortos pelo suspeito que tinha fugido pela mata.

Armamento foi apreendido na zona rural de Vilhena (Foto: Christian Wentz/G1)Armamento foi apreendido na zona rural de Vilhena (Foto: Christian Wentz/G1)

Armamento foi apreendido na zona rural de Vilhena (Foto: Christian Wentz/G1)

Em revista pela residência, os militares encontraram um revólver calibre 38 municiado e com a numeração raspada, 14 cartuchos deflagrados e 19 cartuchos intactos em um cômodo. Em outro cômodo foram encontrados 38 cartuchos de calibre 22 deflagrados e oito intactos.

As munições estavam dentro de uma mochila, junto com apetrechos para a recarga das munições.

Durante a revista foram encontrados documentos com o nome do suspeito, ligados a diversos sindicatos de trabalhadores rurais do estado, uma folha de cheque de R$ 20mil e cartões magnéticos no nome de outras pessoas.

Ainda na residência, de acordo com o registro policial, foram encontradas três espingardas, duas de calibre 20 e outra de calibre 36.

Goe de Vilhena (Foto: Christian Wentz/G1)Goe de Vilhena (Foto: Christian Wentz/G1)

Goe de Vilhena (Foto: Christian Wentz/G1)

O casal foi questionado sobre o paradeiro do suspeito que fugiu na mata, e eles indicaram o possível local para onde o homem teria ido, uma residência nas proximidades.

Os militares foram até o local e encontraram quatro jovens, de 22, 23, 25 e 27 anos. Na residência os militares localizaram uma “anta” abatida.

Dentro da casa dos jovens foram achadas mais quatro espingardas, sendo duas calibre 36, uma espingarda de pressão e um revólver calibre 38 carregado. Também foram apreendidos várias munições no local.

Diante dos fatos, todos os suspeitos receberam voz de prisão e foram encaminhados à delegacia de Polícia Civil em Vilhena, junto com o armamento e os animais abatidos.

Em contato com a Polícia Civil, o G1 apurou que o rapaz de 22 anos e o casal foram liberados, enquanto os outros suspeitos de 23, 25 e 27 anos foram flagranteados por posse irregular de arma de fogo e crimes contra o meio ambiente.

O suspeito que fugiu pela mata não foi encontrado.

A carne dos animais foi entregue à Polícia Militar Ambiental, que incinerou os animais no fim da tarde desta sexta-feira, juntamente com um químico e a veterinária do município.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here