Polícia do AP descarta overdose e diz que adolescente morreu em festa após ser atingida por rojão

0

De acordo com o delega Sidney Leite, a informação foi repassada pela equipe de perícia da Polícia Técnico-Científica (Politec) que constatou a morte rompimento no baço apos agressão. Ela faleceu horas depois no Hospital de Emergências (HE).

“As primeiras informações apontaram que ela morreu de overdose apos consumir álcool e drogas na festa, mas isso foi descartado, pois a perícia apontou que ela teve a ruptura no baço, em razão de ter sido atingida pelo rojão, que explodiu e ocasionou em hemorragia interna ” destacou.

O suspeito de lançar o rojão foi identificado pela polícia e prestou depoimento na terça-feira (31). Segundo Leite, ele confessou que jogou o objeto, mas sem a intenção de atingir os participantes da festa. O fato será investigado e o vizinho pode responder por homicídio culposo ou doloso qualificado, pela utilização de explosivos.

“Ele contou que jogou o objeto para o alto, para espantar pombos que estavam próximo à casa dele. Entretanto, as investigações mostram que o corpo da adolescente tinha queimadura e marca de ter sido atingida pelo objeto, que foi arremessado do alto. Em fotos e vídeos, é possível ver a jovem no local onde o rojão caiu”, explicou o delegado.

Em entrevista à Rede Amazônica no Amapá, a mãe de Mariana contou que o rojão disparado foi o que causou a morte da filha em função de uma hemorragia interna, e segundo ela, não houve o óbito por overdose.

O impacto do disparo teria contribuído para que a jovem sofresse um mal súbito causando a parada cardíaca. Ela afundou na piscina, e ela estava vomitando sangue, informou a polícia. A adolescente foi encaminhada ao hospital e alegou sofrer fortes dores.

Cerca de 10 pessoas foram ouvidas pela Polícia Civil, que ainda não concluiu o inquérito. Mariana estava na casa acompanhado de amigos e a irmã de 18 anos. Segundo as investigações, os participantes, incluindo a adolescente, consumiram álcool e fez uso de cocaína.

A investigação busca saber a origem da cocaína e quem ofereceu a droga e o álcool para Mariana. O delegado enfatiza que os organizadores podem responder por fornecer droga a menor. Os proprietários da casa onde ocorreu a festa também serão ouvidos e poderão ser indiciados, ressaltou o delegado.

Fonte: G1

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here