Produção de energia elétrica elevou em 80% o PIB 2015 de Ferreira Gomes, no AP

0
Produção de energia em hidrelétricas aumentou renda per capita em Ferreira Gomes (Foto: John Pacheco/G1)Produção de energia em hidrelétricas aumentou renda per capita em Ferreira Gomes (Foto: John Pacheco/G1)

Produção de energia em hidrelétricas aumentou renda per capita em Ferreira Gomes (Foto: John Pacheco/G1)

O município de Ferreira Gomes teve a maior variação econômica do Produto Interno Bruto (PIB) do Amapá no ano de 2015, 80,6% a mais em relação ao ano anterior, de acordo com a Secretaria de Estado do Planejamento (Seplan). A informação está no estudo “PIB Municipal”. A cidade também registrou a maior renda per capita do estado, com R$ 49,9 mil.

“Tem uma renda per capita de R$ 49 mil. Isso não quer dizer que o município de Ferreira Gomes seja mais rico que os demais municípios em termos sociais, porque a renda per capita nada mais é do que aquela produção realizada naquele município dividido pela população”, explicou o titular da Seplan, Antônio Teles, em entrevista à Rede Amazônica.

Na outra ponta, o PIB teve as maiores quedas nos municípios de Amapá (-19,9%), Vitória do Jari (-7,1%), e Pracuúba (-4,7%).

Apesar de ter a maior renda amapaense, Ferreira Gomes é a quarta economia do PIB no estado, com R$ 344,3 milhões. A capital Macapá foi a que mais colaborou para o montante estadual, com R$ 9 bilhões, seguido de Santana (R$ 1,9 bilhão) e Laranjal do Jari (R$ 559,8 milhões).

O governo pretende distribuir riquezas com outros municípios nos próximos anos, ampliando a produção agrícola, especialmente de soja e da pecuária, informou a Seplan, sem divulgar previsão para que haja essa mudança na economia.

“É difícil estabelecer um prazo porque tem uma série de variáveis que não são controláveis. O que a gente tem observado é que, nos últimos anos, a tendência de crescimento desses setores à nível local tem se destacado, comparado às atividades que se desenvolve nas cidades”, destacou Teles.

Dados sobre o PIB calculado em 2015 no Amapá

PIB (R$) Participação no PIB (%) Variação (%)
Estado do Amapá 13.861.201 100 3,4
Macapá 9.085.050 65,5 2,1
Santana 1.990.899 14,4 6,2
Laranjal do Jari 559.807 4,0 3,3
Ferreira Gomes 344.384 2,5 80,6
Oiapoque 300.960 2,2 6,7
Porto Grande 292.899 2,1 6,7
Pedra Branca do Amapari 279.611 2,0 -3,7
Mazagão 201.204 1,5 -3,3
Tartarugalzinho 164.791 1,2 0,7
Vitória do Jari 147.046 1,1 -7,1
Amapá 133.948 1,0 -19,9
Calçoene 133.638 1,0 9,5
Cutias 64.275 0,5 8,6
Serra do Navio 55.869 0,4 -4,0
Pracuúba 55.657 0,4 -4,7

Ferreira Gomes encabeça o ranking de renda per capita desde 2013. Além dele, os municípios de Pedra Branca do Amapari (R$ 19,9 mil) e Macapá (R$ 19,9 mil) tiveram renda per capita maior que a do estado em 2015, que foi de R$ 18 mil. As menores rendas ficaram com Vitória do Jari (R$ 10,2 mil) e Mazagão (R$ 10,2 mil).

Os municípios com os maiores lucros na área rural são Pracuúba (28%) e Cutias (25,6%). Ferreira Gomes (67,6%) e Pedra Branca do Amapari (31,9%) tiveram destaques na produção industrial. O valor acrescentado em serviços (comércio e atividade imobiliária) proporcionou o maior índice para Macapá (48,9%).

De acordo com a Seplan, Ferreira Gomes (20,2%), Macapá (40,1%) e Santana (42,8%) são os menos dependente da economia vinda dos serviços públicos.

PIB per capita dos municípios do Amapá em 2015

Dados indicam média de renda por cada indivíduo da população

Fonte: IBGE e Seplan

Em novembro, a secretaria já havia divulgado os dados à nível estadual. O Amapá foi o estado que teve o maior recuo no volume do PIB em todo o país na comparação entre 2015 e 2014. Mudanças nos setores produtivos e da indústria provocaram a maior parte do decréscimo de -5,5%, que totalizou um valor corrente de R$ 13,8 bilhões.

Analisando o PIB sob a ótica da renda, a administração pública continua sendo a principal atividade econômica do Amapá, com uma participação de 57,1% no índice.

As pesquisas “Contas Regionais” e “PIB Municipal”, que divulga dados relacionados ao PIB no estado e municípios, são feitas a partir de uma parceria entre o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), secretarias estaduais de governo e a Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa). No Amapá, os dados foram fornecidos pela Seplan.

O cálculo do desempenho da economia é feito a partir da ótica da produção com o PIB e o valor adicionado bruto, com base na produção dos três setores da economia (primário, secundário e terciário).

Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o VC no G1 AP ou por Whatsapp, nos números (96) 99178-9663 e 99115-6081.

Fonte: G1

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here