Professora celebra 10 anos de projeto que coloriu a cidade de Cacoal com ipês amarelos

0

Ipê amarelo foi escolhido pela resistência e por ser considerado símbolo nacional, diz idealizadora. Projeto produziu, plantou e distribuiu 5 mil mudas da espécie.

Ipês da Avenida Santo Antônio (Foto: Rogério Aderbal/G1)

Ipês da Avenida Santo Antônio (Foto: Rogério Aderbal/G1)

Em agosto, a cidade de Cacoal (RO), distante 480 quilômetros de Porto Velho, ganha um colorido especial, composto pela florada dos ipês amarelos plantados em diversas vias públicas e residências do município. O belo cenário que agrada os moradores e atrai visitantes é possível graças a um projeto de arborização idealizado por uma professora e realizado por estudantes e voluntários. Após 10 anos de implantação, a idealizadora celebra com alegria os frutos do projeto que produziu, plantou e distribuiu 5 mil mudas da espécie.

De acordo com a professora Ilda Menezes Lumes, idealizadora do projeto, o objetivo do plantio das árvores era contribuir com o meio ambiente e embelezar a cidade. “No começo, nós pensamos em arborizar toda a cidade, porém percebemos, que iria se estender muito e não daríamos conta de conseguir alcançar nossos objetivos”, aponta.

Professora Ilda Menezes (Foto: Ilda Menezes/Arquivo Pessoal)Professora Ilda Menezes (Foto: Ilda Menezes/Arquivo Pessoal)

Professora Ilda Menezes (Foto: Ilda Menezes/Arquivo Pessoal)

O projeto ‘Ipê Amarelo, Plante Essa Ideia’, era coordenado pela educadora, com apoio de alunos da Escola Estadual Antônio Gonçalves Dias, do Bairro Santo Antônio. Segundo ela, o ipê amarelo foi escolhido pela resistência e por ser considerado símbolo nacional, pelas cores que carrega.

“Os alunos orientados por técnicos da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam) foram até a mata e colheram as sementes. Depois, cinco canteiros foram construídos na escola para o plantio. Durante a ação, os estudantes também estudaram a parte histórica e teórica sobre espécies nativas de ipês na região e formas de plantio e cultivo”, revela a educadora.

Ipês amarelos embelezam as ruas de Cacoal (Foto: Rogério Aderbal/G1)Ipês amarelos embelezam as ruas de Cacoal (Foto: Rogério Aderbal/G1)

Ipês amarelos embelezam as ruas de Cacoal (Foto: Rogério Aderbal/G1)

Depois que as mudas nasceram, elas precisavam ser plantadas em locais permanentes. Nesse momento, entraram os parceiros que ajudaram a colocar as mudas na terra. Para a execução do plantio, o projeto contou com a ajuda de mais cinco escolas estaduais, municipais e particulares. Voluntários também contribuíram com trabalho e ajuda financeira.

“Além da Sedam e da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, que nos dava apoio técnico, os pais, alunos e professores estavam sempre engajados. Lembro-me de que muitos alunos adotaram uma árvore e plantaram na frente da casa deles, depois quando a gente passava na rua e os via com baldes molhando as plantinhas. Isso me deixava muito feliz. Também tive tristeza ao ver que algumas árvores foram cortadas já grandes. Porém, o mais importante é que a maior parte da população entendeu nossa causa e nos apoiou”, expõe a professora.

Ipês ao entardecer na Avenida Paraná (Foto: Rogério Aderbal/G1)Ipês ao entardecer na Avenida Paraná (Foto: Rogério Aderbal/G1)

Ipês ao entardecer na Avenida Paraná (Foto: Rogério Aderbal/G1)

Conforme Ilda Menezes, das 5 mil mudas produzidas, muitas foram plantadas nos canteiros centrais da Avenida Santo Antônio, no Bairro que leva o mesmo nome, na Avenida Dois de Junho, no Bairro Jardim Clodoaldo, e na Avenida Paraná, no Bairro Novo Horizonte. O plantio também ocorreu em quintais de residências do centro da cidade, de regiões periféricas e na área rural do município. Ainda houve mudas que foram doadas para moradores de outras cidades.

“Fomos criticados, diziam que estávamos atraindo abelhas para a cidade. Ainda, quando a gente passava ao comércio buscar ajuda, as pessoas perguntavam qual seria o resultado de nosso trabalho. Agora digo que os frutos do esforço de todos que lutaram pela causa está ai, com a sombra das árvores que deixa a cidade mais fresca e o amarelo que embeleza a cidade nos meses de julho e agosto. Isso todo mundo gosta de ver e sentir”, enfatizou Ilda.

Quando a reportagem do G1 chegou à Avenida Paraná para fotografar os ipês floridos no canteiro central, um homem veio na direção da equipe e gritou: “Ei repórter, que bom que você veio fotografar os ipês. Eles são lindos né? Quero lhe dizer que cuidei deles desde pequenos”.

Gervásio, um voluntário orgulhoso do projeto (Foto: Rogério Aderbal/G1)Gervásio, um voluntário orgulhoso do projeto (Foto: Rogério Aderbal/G1)

Gervásio, um voluntário orgulhoso do projeto (Foto: Rogério Aderbal/G1)

O homem que abordou a equipe é o aposentado Gervásio Clemente Barbosa, um dos voluntários que ajudou a plantar e cuidar das árvores no Bairro Novo Horizonte. Apaixonado pela natureza, ele conta que atua em outros projetos, mas com os ipês do canteiro central da Avenida Paraná, onde reside, ele tem um verdadeiro caso de amor.

“Quando me chamaram para ajudar no projeto, aceitei na hora. Depois que os alunos plantaram, fiz cerca em volta das mudas com madeira doada por uma serraria. Também molhava eles [os ipês] direto com um regador e replantei as espécies que morreram. Já cheguei tirar dinheiro do meu bolso para ajudar. Mas, não me arrependo, pois hoje o resultado supera tudo e transformou a nossa rua em um ponto turístico com essas flores lindas. Todo mundo aqui no bairro gosta de apreciar a beleza delas. Ficou muito feliz de fazer parte dessa história”, conta o orgulhoso voluntário.

Alunos e parceiros participaram do projeto (Foto: Rogério Aderbal/G1)Alunos e parceiros participaram do projeto (Foto: Rogério Aderbal/G1)

Alunos e parceiros participaram do projeto (Foto: Rogério Aderbal/G1)

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here