STF e TSE reagem a ações em universidades; Bolsonaro insiste no anti-PT e Haddad quer apoio de Ciro. Jornais de sábado (27) | Blog do Matheus Leitão

O Globo informa que os ministros Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), e Rosa Weber, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), reagiram negativamente à decisão de alguns juízes eleitorais de permitir ações da Polícia Federal nas universidades públicas em busca de propagandas eleitorais ilegais.

Segundo o jornal, a PF fez operações em 20 unidades de 12 estados em busca de materiais de campanha. A Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, entrou com pedido no STF para restabelecer a liberdade de expressão, de reunião e cátedra nas universidades. “STF e TSE reagem a proibição de atos políticos em universidades”, mostra a manchete do Globo.

A Folha de S.Paulo também comenta a reação do STF, de políticos, reitores e integrantes da sociedade civil às operações da polícia federal na universidades. O matutino afirma que aconteceram ações em pelo menos 30 instituições com o objetivo de coibir a propaganda eleitoral.

O ministro Luís Roberto Barroso, do STF, afirmou que a polícia só deve entrar numa universidade “se for para estudar”. O TSE informou que a Corregedoria Eleitoral vai investigar se houve excesso nas operações. “Ações em universidades são condenadas por STF e PGR”, sublinha a manchete da Folha.

Na reta final da campanha, o Estado de S.Paulo revela as estratégias de Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) em busca de votos. Enquanto o candidato do PSL manteve a campanha na internet e pediu mais engajamento de seus apoiadores, Haddad insistiu na pressão por uma declaração mais enfática de Ciro Gomes (PDT) a seu favor.



Fonte: G1