Transição de governo tem sido ‘civilizada’ e ‘suave’, diz Temer | Política

O presidente Michel Temer afirmou nesta sexta-feira (16), ao discursar na Cúpula Iberoamericana, que a transição de governo tem sido “civilizada”, “suave” e “tranquila”.

A equipe responsável pela transição atua no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) em Brasília e diariamente faz reuniões com integrantes do atual governo.

Entre as pessoas que atuam no gabinete de transição estão o vice-presidente eleito general Hamilton Mourão e os futuros ministros Paulo Guedes (Economia), Onyx Lorenzoni (Casa Civil) e Tereza Cristina (Agricultura).

“Como dizia o presidente [de Protugual] Marcelo [Rebelo], é preciso que estejamos todos unidos, esta é uma pregação que eu tenho feito internamente no meu país. Muito recentemente, o Brasil foi às urnas e mais de 100, 120 milhões de eleitores elegeram novos governos, entre os quais o novo presidente da República”, afirmou Temer.

“Lá [no Brasil], nós estamos conduzindo uma transição muito civilizada, muito suave e muito tranquila para que o novo governo possa conhecer tudo o que foi feito no nosso governo e aquilo que se deva ser feito”, acrescentou.

Nesta quinta-feira (15), Temer fez um pronunciamento na cadeia nacional de TV no qual pregou a união do país, desejou sucesso a Bolsonaro e destacou o papel das instituições da democracia.

Desde a vitória nas urnas, em 28 de outubro, o presidente eleito Jair Bolsonaro esteve em Brasília duas vezes.

Na capital, costuma se reunir com autoridades e com a equipe de transição, além de anunciar os nomes dos futuros ministros e informar medidas que adotará a partir de 2019.

Ao discursar na XXVI Cúpula Iberoamericana, na Guatemala, Temer destacou medidas econômicas adotadas pelo governo nos últimos anos e afirmou que a questão ambiental é “fundamental”.

À plateia, ressaltou, por exemplo, a implementação do limite para o crescimento dos gastos públicos; a redução da taxa básica de juros da economia; e a redução da inflação.

“Os pilares econômicos toruxeram a seguinte ideia: responsabilidade fiscal. Fixamos o teto para os gastos públicos e evitamos políticas que não tivessem vistas ao futuro”, afirmou.

O presidente também elogiou o programa Bolsa Família e destacou o fato de o Brasil ter assinado o Acordo do Clima de Paris, em 2015.

“Quando falamos do meio ambiente, estamos falando da proteção dos habitantes dos nossos países”, declarou.

Fonte: G1