Valor da cesta básica em Fortaleza tem redução de 4,85%, aponta Dieese

0
Cesta básica custou 4,85% a menos no mês de setembro em Fortaleza, apontou pesquisa realizada pelo Dieese.  (Foto: Arquivo G1/Reprodução)Cesta básica custou 4,85% a menos no mês de setembro em Fortaleza, apontou pesquisa realizada pelo Dieese.  (Foto: Arquivo G1/Reprodução)

Cesta básica custou 4,85% a menos no mês de setembro em Fortaleza, apontou pesquisa realizada pelo Dieese. (Foto: Arquivo G1/Reprodução)

O preço da cesta básica nos supermercados de Fortaleza apresentou redução de 4,85% no mês de setembro, segundo dados divulgados nesta quarta-feira (4) pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). A retração nos preços foi dada em 11 dos 12 produtos que compõem a cesta básica.

Conforme o Dieese, a cesta básica custou R$ 370,46 em setembro. Considerando o valor e o salário mínimo de R$ 937, foi preciso trabalhar 86 horas e 59 minutos da jornada de trabalho mensal para adquirir a cestae. O gasto com alimentação de uma família padrão (2 adultos e 2 crianças) foi de R$ 1.110,00, segundo a pesquisa.

O relatório mostrou que o quilo do tomate foi o item que apresentou maior redução no preço, com -22,64%. Outros produtos que apresentaram redução foram o feijão (-10,13%), o arroz (-4,21%), o açúcar (-4,12%), a farinha (-4,05%) e o óleo (-3,13%).

O Dieese mostrou ainda que a cesta básica em setembro deste ano foi mais barata que no mesmo mês do ano passado, quando os 12 produtos juntos custavam R$ 415,94.

A diminuição no custo do conjunto de alimentos foi observada em 20 das 21 cidades onde o Dieese realiza mensalmente a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos. As quedas mais expressivas foram registradas nas cidades do Nordeste: Maceió (-5,22%), Fortaleza (-4,85%), João Pessoa (-4,62%), Salvador (-4,09%), São Luís (-3,97%) e Natal (-3,64%). A única alta foi anotada em Campo Grande (1,17%).

Porto Alegre foi a cidade com a cesta mais cara (R$ 436,68), seguida por São Paulo (R$ 421,02) e Florianópolis (R$ 419,17). Os menores valores médios foram observados em Salvador (R$ 318,52), Natal (R$ 323,90) e Recife (R$ 328,63). Em 12 meses, o valor da cesta apresentou redução em todas as cidades pesquisadas.

Com base na cesta básica mais cara, que, em setembro, foi a de Porto Alegre, e levando em consideração a determinação constitucional que estabelece que o salário mínimo deve ser suficiente para suprir as despesas de um trabalhador e da família dele com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência, o DIEESE estima mensalmente o valor do salário mínimo necessário.

Em setembro de 2017, o salário necessário para a manutenção de uma família de quatro pessoas deveria equivaler a R$ 3.668,55, ou 3,92 vezes o atual salário mínimo de R$ 937,00. Em agosto de 2017, o piso mínimo necessário correspondeu a R$ 3.744,83, ou 4,00 vezes o mínimo vigente. Em setembro de 2016, o salário mínimo necessário foi de R$ 4.013,08, ou 4,56 vezes o piso em vigor, que equivalia a R$ 880,00

Fonte: G1

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here