Venezuela estaria perseguindo mineradores de Bitcoin por uso de energia

0


Energia subsidiada na Venezuela cria atrativos para mineração de criptomoedas. (Foto: Leszek Soltys/Freeimages.com)

Relatos de usuários no site “Reddit” e reportagens da “CBNC” e do “The Atlantic” indicam que as autoridades na Venezuela estariam perseguindo mineradores de Bitcoin por causa do alto consumo de energia das máquinas de mineração. A mineração e as chamadas criptomoedas não são ilegais no país, mas mineradores são acusados de crimes de informática ou até roubo de eletricidade.

O Bitcoin e outras criptomoedas têm como parte do seu funcionamento a “mineração”, um processo computacional complexo que rende moedas a quem encontra um número capaz de resolver um problema matemático. Como a mineração é uma espécie de loteria, diversos mineradores se reúnem em “bolões” (chamados de “pools”) para dividir o “prêmio” caso algum deles consiga resolver o cálculo, o que garante um rendimento constante aos participantes.

SAIBA MAIS
Entenda por que o Bitcoin ‘desperdiça’ energia elétrica
O Bitcoin desperdiça mesmo energia? Veja perguntas e respostas

Além do maquinário, a mineração tem um alto custo da energia elétrica, que é subsidiada na Venezuela. Isso tornou a mineração especialmente atrativa no país, já que os rendimentos eram consideráveis. Graças à valorização do Bitcoin e das criptomoedas, os mineradores venezuelanos conseguiam uma renda mais estável com as criptomoedas do que com o bolívar, a moeda venezuelana, segundo as reportagens.

Como a energia é subsidiada, porém, os mineradores teriam entrado na mira das autoridades. As primeiras prisões ocorreram em 2016, quando Joel Padrón e Jose Perales foram acusados de roubo de eletricidade. Em janeiro deste ano, outros três homens e uma mulher foram presos por “fraude de internet e furto elétrico”.

Segundo uma publicação de um usuário no site colaborativo “Reddit”, um conjunto de servidores com 11 mil ASICs (processadores específicos para a mineração de Bitcoins) teria sido desativado pelas autoridades. Outro venezuelano afirma que vai desligar suas oito máquinas Antminers por não querer arruinar sua vida.

“Os mineiros estão sendo presos e acusados de terrorismo, lavagem de dinheiro, crimes informáticos e outros. Está ficando insano aqui e realmente não quero arruinar minha vida por dinheiro”, diz uma postagem, de seis meses atrás.

Um dos mineradores venezuelanos ouvidos pela CNBC – a reportagem usou nomes fictícios para quase todos os entrevistados -, afirma que chegou a ser abordado pelo serviço de inteligência venezuelano, a Sebin. “Começaram a fazer perguntas sobre por que eu estava usando tanta energia. Eu desliguei todos os meus mineradores de Bitcoin e me mudei para um local seguro”, contou.

Apesar das prisões ligadas ao Bitcoin relatadas pela imprensa venezuelana e dos relatos coletados pela “CNBC”, nem a mineração e nem o comércio de criptomoedas são expressamente proibidos na Venezuela.

Dúvidas sobre segurança, hackers e vírus? Envie para g1seguranca@globomail.com

Fonte: G1

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here