O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, visitou o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), na residência oficial do parlamentar nesta quinta-feira (25), de acordo com a assessoria de Lira. A reunião não constava nas agendas de Ernesto e Lira. O encontro ocorre um dia após o ministro ser alvo de críticas de parlamentares, inclusive do próprio Lira.

De acordo com os blogs do Valdo Cruz e da Andréia Sadi, em uma reunião fechada com o presidente Jair Bolsonaro, ministros, governadores e chefes de poderes na quarta (24), Lira cobrou de Ernesto uma ação efetiva na busca de vacinas contra a Covid-19 no exterior.

Mais tarde, ainda na quarta, Ernesto participou de uma sessão no Senado que debateu ações contra a pandemia. O ministro ouviu de senadores pedidos para que deixe o cargo, em razão da, segundo eles, ineficiência do ministério na crise, em especial na negociação da compra de vacinas.

Ernesto é um dos ministros mais ideológicos do governo e partilha os mesmos conceitos do bolsonarismo em assuntos de política externa. Alinhou-se integralmente, por exemplo, ao governo do ex-presidente norte-americano Donald Trump e adota um discurso nacionalista, muitas vezes em detrimento do multilateralismo.

Essa postura lhe rendeu atritos com a China, principal comprador das exportações brasileiras e maior fabricante mundial de insumos de vacinas. No meio diplomático, a avaliação é que a China vê como bastante prejudicado o diálogo com Ernesto. Dificuldade parecida ocorre também com relação à Índia, outro significativo produtor de vacinas.

Conteúdo retirado do site: G1 da Globo