O Instituto Butantan deu detalhes sobre o desenvolvimento da Butanvac, a primeira vacina totalmente brasileira contra Covid-19, em coletiva de imprensa na manhã desta sexta-feira (26). “Este desenvolvimento começou exatamente há um ano atrás, no dia 27 de março do ano passado. No dia de hoje pretendemos ingressar na Anvisa com o pedido para iniciar o estudo clínico”, explicou Dimas Covas, presidente do Instituto.

A vacina vai ser 100% feita no Brasil, com a mesma tecnologia utilizada para vacina da gripe. Covas ressaltou os custos da vacina, que deve ser considerada bem barata por utilizar uma tecnologia bem tradicional em sua fórmula.

publicidade

A intenção é começar com os testes clínicos de fase 1 e 2 já no mês de abril em terminar esse processo em até dois meses. Os testes pré-clínicos, com animais, já foram realizados, inclusive em outros países, como a índia.

Imagem: Reprodução

A vacina brasileira Butanvac é feita em parceria com um consórcio junto com laboratório do Vietnã e índia. O objetivo é exportar o imunizante para países de baixa renda. De acordo com Covas, é possível produzir 40 milhões de doses até o fim do ano.

“Com as vacinas anteriores nós aprendemos o que é uma boa vacina contra Covid-19. Poderemos usar menores doses da vacina por pessoa, com isso a quantidade pode ser aumentada”, ressaltou o presidente do Instituto Butantan.

“A prioridade da vacina é o povo brasileiro. Depois de ser usada nos brasileiros ela vai, evidentemente, poder ser mandada para outros países”, disse o Governador de São Paulo, João Doria, que também esteve presente.

Conteúdo retirado do site: Olhar Digital