Nesta quinta-feira, Dia Mundial do Câncer, um projeto se destaca pelo uso de um recurso inusitado para auxiliar no diagnóstico precoce do câncer de mama.

O Projeto KDOG recorre ao olfato de cães treinados para detectar a doença em estágio inicial. A iniciativa é do Instituto Curie, centro de pesquisa e tratamento de câncer francês.

publicidade

Denominada biodetecção, a técnica aproveita o sentido mais apurado dos cachorros para encontrar agentes patogênicos e também, por exemplo, substâncias ilícitas.

Os cães recebem treinamento para detectar diferentes tipos de câncer de mama em ambiente controlado. Nos laboratórios, os especialistas usam cones para oferecer amostras de odores humanos para os animais.

A boa notícia é que a novidade já chegou ao Brasil graças a uma parceria da instituição francesa com a Sociedade Franco-Brasileira de Oncologia.

Por aqui, o projeto já tem um cão formado e outros dois em treinamento. A intenção é disponibilizar o método de diagnóstico no Sistema Único de Saúde, o SUS, até o fim do primeiro semestre deste ano.

publicidade

Conteúdo retirado do site: Olhar Digital