Essa PEC trará no texto a cláusula de calamidade pública, com os acionamentos dos gatilhos para gastos extraordinários. Para Pacheco, é necessária a votação dessa matéria para viabilizar o auxílio emergencial.

“A pauta está mantido para quinta. Aguardamos a formalização do parecer do Márcio Bittar (relator da PEC) para amanhã (segunda-feira). Pauta importante para viabilizarmos o auxílio”, disse Pacheco.

Para ele, a agenda econômica está blindada e não será afetada pela crise na Petrobras. “O assunto Petrobrás é apartado e não vai interferir na agenda de reformas do Senado”, completou o presidente do Congresso.

Para integrantes da equipe econômica essa garantia de manutenção da agenda de reformas é fundamental para neutralizar a crise gerada com a decisão do presidente Jair Bolsonaro de mudar o comando da estatal.

Com o enfraquecimento da agenda liberal do governo, interlocutores do ministro da Economia, Paulo Guedes, apostam todas as fichas na votação da pauta econômica no Congresso Nacional para recuperar parte da credibilidade perdida nesses últimos dias com a crise envolvendo a Petrobras.

Conselho vai decidir se aprova general no comando da Petrobras
Conselho vai decidir se aprova general no comando da Petrobras

3 min Conselho vai decidir se aprova general no comando da Petrobras

Conselho vai decidir se aprova general no comando da Petrobras

Está marcada para essa semana a reunião do conselho da Petrobras que pode avaliar a indicação do nome de Joaquim Silva e Luna para a presidência da empresa. Se aprovado, o General Luna – indicação do presidente Jair Bolsonaro – vai ser o terceiro militar no conselho da estatal. A reunião de terça-feira (23) já estava agendada antes mesmo do anúncio do presidente Bolsonaro. Mas o nome do general Luna deve estar na pauta de discussões.

Conteúdo retirado do site: G1 da Globo