Pazuello é investigado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) pelo colapso no Amazonas com a falta de oxigênio para os pacientes internados com Covid-19.

“Apesar dele ser um general, ele está sendo investigado como ministro da Saúde. Portanto, deveria receber a PF no seu gabinete na Saúde. Jamais numa instalação do Exército. Já é muito negativo ele ser investigado. Porém, contaminar fisicamente a imagem do Exército com essa investigação é ainda pior”, disse ao Blog um general da reserva.

Pazuello é um general três estrelas da ativa. Apesar da pressão do Exército para ele ir para os quadros da reserva e evitar associação de sua conduta no Ministério da Saúde com a Força, ele fez questão de se manter na ativa.

A data e o local do depoimento à Polícia Federal foram escolhidos pelo próprio ministro, como determinou o relator do inquérito, o ministro do STF Ricardo Lewandowski.

Segundo a assessoria, Pazuello detalhou as ações em andamento no Amazonas e se colocou à disposição da Justiça. No pedido inicial, a PGR alegou que o ministro só tomou providências sobre a situação gravíssima dos estoques de oxigênio no Amazonas dias depois de ter sido informado.

Conteúdo retirado do site: G1 da Globo