O melhor amigo do homem acaba de ganhar seu maior adversário: uma versão robótica. O Koda, cão robô dotado de inteligência artificial criado pela empresa de mesmo nome, pode interagir socialmente com seus donos, “sentindo” emoções humanas como tristeza e felicidade, e reagir de forma condizente.

De acordo com a empresa, o Koda difere de outros robôs do tipo por ter sido desenvolvido para ser “funcional de perspectivas pragmáticas e emocionais”.

publicidade

Koda é um cão robô social e versátil, de acordo com seus criadores. Crédito: Koda/Divulgação

“O Koda é um robô social. É por isso, entre outro motivos, que demos a ele uma cabeça. Quando um Koda vira a orelha para ouvir a voz de seu dono e corre para ficar perto, o consumidor vai saber que ele ouviu e o entendeu”, explicou a companhia.

Graças à sua “infraestrutura de inteligência artificial descentralizada em blockchain“, o robô é capaz de atuar como um animal de companhia, um cão-guia ou de guarda. A IA descentralizada, também conhecida como IA distribuída, é uma área da tecnologia que foca no desenvolvimento de soluções distribuídas para problemas.

Já a tecnologia blockchain é o que garante a segurança na descentralização dos “ciberpets”, pois cada unidade é conectada a uma rede usada para compartilhar fatos e informações, processar soluções e permitir que o Koda aprenda novas habilidades, descartando dados desnecessários ao robô.

“Pedigree” tecnológico

O corpo do Koda foi desenhado para lembrar o porte canino, mas seus componentes estão mais para um supercomputador. O robô conta com câmeras de profundidade 3D na frente, atrás e dos lados, e simula a movimentação de cachorros reais utilizando 14 motores de alto torque, sendo dois no pescoço.

publicidade

Em seu “focinho”, ele tem um display de alta resolução e uma câmera de 13 MP capaz de tirar fotos de qualidade. Segundo a empresa, o arranjo de microfones do Koda pode reconhecer vozes com uma precisão de 97% de acerto.

E para os apaixonados por tecnologia que estão pensando em adquirir um companheiro futurístico para chamar de seu, o robô ainda tem uma vantagem sobre a concorrência: o preço.

A empresa comercializa unidades a partir de US$ 45 mil (R$ 241 mil em conversão direta), enquanto o “badalado” Spot, da Boston Dynamics, chega a custar US$ 74,5 mil ( ou R$ 399 mil).

Via: CNET

Conteúdo retirado do site: Olhar Digital