Assim como o deus romano que lhe batizou, Mercúrio corre bem rápido no céu. Sua órbita próxima ao Sol faz com que o ano dure apenas 88 dias – e torne o planeta particularmente difícil de ser observado. Mas uma boa oportunidade acontece agora, nos últimos dias de janeiro.

Mercúrio alcançará seu ponto mais alto acima do horizonte nesta quarta (27), mas já será bem visível hoje. Se você estiver em São Paulo, o planeta atingirá um pico de altitude de 14° acima do horizonte oeste, perto da hora do pôr do sol, e se põe aproximadamente às 20h.

publicidade

O menor planeta do Sistema Solar brilhará cinco vezes mais forte do que o normal – tão brilhante que você deve ser capaz de localizá-lo a olho nu. É claro que isso depende do clima, mas se você tiver céu limpo e uma vista aberta, não deverá ter problema em encontrá-lo.

Mercúrio não tem uma atmosfera espessa para protegê-lo dos detritos espaciais, por isso é crivado de crateras, como a Bacia Caloris, que tem 1.525 quilômetros de diâmetro. Imagem: Nasa/Johns Hopkins University Applied Physics Laboratory/Carnegie Institution of Washington

A órbita de Mercúrio é mais próxima do Sol do que da Terra, o que significa que o planeta sempre aparece perto da estrela e se perde no seu brilho a maior parte do tempo. Por isso, ele é observável por apenas algumas semanas cada vez – quando atinge uma maior separação do Sol.

Como se orientar

Para acompanhar o movimento dos astros, é importante saber em que direção olhar e como identificar os principais pontos cardeais. Para isso, você pode usar um velho truque, uma bússola ou um app de astronomia em seu celular.

O velho truque é baseado numa frase que você deve ter aprendido na escola: “o sol nasce a leste e se põe a oeste”. Fique em pé e estique os braços, com o direito apontando para o nascente, e o esquerdo para o poente. Então você terá o leste à direita, o norte à frente, o oeste à esquerda e sul atrás de você.

publicidade

Quanto às bússolas, quem usa um iPhone não precisa de um app extra: basta usar o “Bússola”, que é parte do iOS. Para Android recomendamos o “Apenas uma bússola”, da PixelProse SARL, que é bonito, simples, gratuito e, mais importante, sem anúncios.

Reprodução
O SkySafari usa bússola e GPS para identificar as estrelas para as quais o celular está apontando. Imagem: Simulation Curriculum

Outra opção é usar um app de astronomia, que usa a bússola do celular e sua localização obtida via GPS identificar o que você está apontando ou indicar para onde olhar. Uma boa opção é o Sky Safari, da Simulation Curriculum Corp., que está disponível em versões para Android e iOS e pode ser usado gratuitamente. 

No Android, apps como o SkySafari, Starchart, Stellarium ou Star Walk 2 podem facilitar a indicação da posição do cometa. Apesar de alguns serem pagos, suas versões gratuitas também permitem guiar o usuário.

Via: In The Sky/Nasa/The Sun

Conteúdo retirado do site: Olhar Digital