A página de configurações de anúncios do Google ficou conhecida depois de viralizar em uma postagem no TikTok. Essa ferramenta mostra tudo o que a empresa de Mountain View sabe até hoje sobre os usuários, incluindo desde dados pessoais, como idade e emprego, até uma série de tópicos de interesse estabelecidos pelos algoritmos da empresa .

A usuária Trish Kabob, com mais de 100 mil seguidores, divulgou o endereço em seu perfil. Kabob, que trabalha com Marketing Digital, declarou que “nem todos se dão conta de quanto o Google é invasivo”. O conteúdo, até o momento, registra mais de 1,4 milhão de curtidas.

publicidade

Plataforma de anúncios do Google coleta uma série de dados e interesses pessoais dos usuários. Imagem: pixinoo/Shutterstock

Esse volume de dados coletados sobre os usuários ajuda o Google a entender cada vez melhor que tipo de pessoa cada um é. Algo que é muito valioso para o uso comercial, onde propagandas cada vez mais eficazes podem ser convertidas em lucro com mais facilidade.

Personalização de anúncios

Apesar dessa prática controversa, o Google oferece essa página justamente para o usuário conseguir revisar quais assuntos ainda são relevantes ou não. Ela também traz uma opção logo no topo, que permite desativar por completo essa personalização de anúncios. A página pode ser acessada neste endereço.

Página do Google permite desativar a personalização de anúncios. Imagem: Google/Reprodução

O vídeo, em si, foi postado para ajudar outras pessoas que se incomodam quando o algoritmo da empresa consegue “adivinhar” seus interesses e até enviar algumas propagandas assustadoramente relevantes.

Essa ferramenta do Google também pode adicionar, em meio aos tópicos de interesse, categorias com temas muito vagos. Por isso, navegando nas configurações, também é possível desativar os tópicos de forma individual, reduzindo a exibição de anúncios irrelevantes.

Vale ressaltar que essa prática não é exclusiva do Google. Outras empresas, como o Facebook, também possuem sua própria plataforma de coleta de dados dos usuários para personalização de anúncios.

Via: The Independent

Conteúdo retirado do site: Olhar Digital