Polícia detém 11 e apreende R$ 108 mil durante operação contra o Jogo do Bicho

Onze pessoas foram encaminhadas para a delegacia nesta quinta-feira (8) envolvidas com jogo do bicho. As detenções foram realizadas durante a operação “Jogo Sujo”, desencadeada pela Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) de Porto Velho. Os conduzidos foram flagrados em uma casa onde funcionava o gerenciamento do jogo de azar.

Policiais da Draco e do Departamento de Estratégia e Inteligência (DEI), cumpriram seis mandados de busca e apreensão nas residências dos investigados e em uma casa que era utilizada especificamente como base de gerenciamento das atividades criminosas do grupo.

No momento em que os policiais chegaram na casa que servia de base para o grupo, eles se depararam com as 11 pessoas e uma grande quantidade de equipamentos, e materiais gráficos utilizados na prática contravencional de jogo do bicho, além de vasto acervo documental.

Dentre os objetos e valores encontrados na posse dos investigados, foram apreendidos centenas de máquinas de cartão de crédito, milhares de cédulas de anotação do jogo do bicho, relógios de luxo e a quantia de R$ 108 mil.

Sobre as pessoas que estavam no local, as investigações indicam que trabalhavam como operadores do esquema criminoso, desde apontadores do jogo do bicho, coletores de apostas, até os gerentes locais das atividades criminosas, que abarcam não apenas a prática do jogo do bicho, como também delitos graves como lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Segundo a Polícia, a ação policial foi resultado da investigação que teve início a partir de uma denúncia anônima onde o denunciante relatou de que algumas pessoas estariam associadas para a realização de operações ilícitas envolvendo o jogo do bicho.

As diligências do serviço de investigação da Draco revelaram indícios da prática, pelo grupo, não apenas do jogo do bicho como também, e ainda mais grave de crimes eleitorais e de lavagem de dinheiro praticados por uma possível organização criminosa, que obtém vantagens econômicas provenientes dessas atividades. A Polícia apurou ainda, que alguns dos operadores do esquema criminoso fazem parte do cenário político dos Estados de Rondônia e de Roraima.

As apreensões de equipamentos e documentos realizadas, serão extremamente úteis e trarão luz às investigações, que objetivam, em especial, esclarecer os métodos de ‘branqueamento’ do dinheiro empregados pelo grupo e, além disso, identificar o patrimônio amealhado com prática ilícita, de modo que seja possível, no momento oportuno, descapitalizar a organização criminosa, sem prejuízo das penas a que se sujeitarão os agentes criminosos.

Deixe seu comentário