A escassez de arroz no segundo semestre do ano passado e o aumento dos preços para patamares recordes fez a indústria ceder a um desejo antigo dos produtores: no começo deste ano, o primeiro contrato futuro de arroz foi registrado na Bolsa Brasileira de Mercadorias (BBM). De lá para cá, dez contratos foram firmados, com um total de 5 mil toneladas de arroz negociadas.

Conteúdo retirado do site: Valor