Queimadas urbanas aumentaram 50% em um ano em Monte Negro

por Paulo Besse

Em Monte Negro, a Secretária de Meio Ambiente já registrou esse ano um aumento de 50% no número de incêndios urbanos. Os mais graves ocorrem no entorno da cidade, onde pessoas colocam fogo em propriedades rurais e as margens das estradas. A orientação da secretaria de meio ambiente é que os moradores não ateiem fogo nos quintais das residências, terrenos e área de pastagens.

A multa para quem colocar fogo nos quintais pode chegar a 5 mil reais, diz Roniclei Pereira
FOTO: Arquivo pessoal



“Estamos na estiagem amazônica e a chance de um incêndio de grandes proporções serem iniciado basta apenas atear fogo em folhas secas no quintal das casas”, alerta o biólogo Roniclei Pereira, ao revelar o registro do aumento de incêndios urbanos em relação ao mesmo período do ano passado.

Na semana passada, um terreno abandonado e tomado por mato foi consumido pelas chamas. As causas do incêndio estão sendo investigadas, mas tudo indica que o fogo se alastrou a partir de uma queima de resíduos de um quintal nas proximidades do terreno.

Outro problema são as queimadas clandestinas em propriedades rurais. Muita gente criminosamente, também coloca fogo as margens de estradas. “O capim seco aliado ao vento é um excelente condutor de chamas. A vegetação de pastagens fica totalmente destruída”, lamenta o gerente de fiscalização da prefeitura Roniclei Pereira.

Considerado o período mais seco do ano em Rondônia, nos meses de julho a outubro as incidências de focos de incêndios urbanos e rurais se alastram. Por mais que pareça um problema ambiental distante, as queimadas podem trazer consequências que influenciam diretamente a qualidade de vida das pessoas nas cidades.

A fumaça provocada pelas queimadas agride mais o público infantil e o idoso afetando o sistema respiratório dessas pessoas. Com esse quadro, o número de atendimento em saúde pública se eleva superlotando os hospitais e postos de saúde. Outro grave problema com os incêndios, especialmente na zona rural, é a destruição da fauna e da flora colocando em risco as nascentes.

“Fica o alerta para os cuidados com o meio ambiente”, avisa o biólogo Roniclei Pereira, lembrando que a SEMA aplica multa ao morador incidente que provocar incêndio.

Deixe seu comentário