O relator-geral do Orçamento de 2021, senador Márcio Bittar (MDB-AC), defendeu nesta quarta-feira (10) o avanço das reformas e a retomada da agenda econômica no Congresso, mas disse que as pessoas que “precisam comer não vão esperar”.

O senador afirmou que se elegeu com a bandeira da retomada econômica, mas destacou a importância de o Orçamento sinalizar “cuidado com brasileiros que precisam do Estado”.

“Eu me elegi defendendo esta agenda [de retomada da economia]. Só que, com a retomada da agenda econômica e a agenda das reformas, as pessoas que precisam comer não vão esperar. Eu já disse desde o ano passado que elas precisam caminhar juntas”, afirmou Bittar.

Congresso instala comissão para avaliar Orçamento de 2021
Congresso instala comissão para avaliar Orçamento de 2021

4 min Congresso instala comissão para avaliar Orçamento de 2021

Congresso instala comissão para avaliar Orçamento de 2021

Foi instalada nesta quarta-feira (10) no Congresso a Comissão Mista de Orçamento, que define quanto o governo tem de dinheiro para gastar e investir ao longo do ano. A deputada Flávia Arruda (PL-DF) foi eleita a presidente do colegiado. A comissão tem 42 parlamentares titulares: 31 deputados e 11 senadores.

“Agora, é fundamental, como sinal de responsabilidade, que, ao apresentar a peça orçamentária, se dentro dela estiver a solução para os brasileiros que ainda precisam do estado, tenha também as PECs Emergenciais, os gatilhos, estejam dentro”, disse o senador.

Questionado sobre espaço no Orçamento para a criação de uma nova modalidade de auxílio emergencial em razão da pandemia do novo coronavírus, Bittar afirmou que no momento “tudo é especulação” e que prefere não falar para não atrapalhar a costura de uma solução.

“Não vou falar sobre hipóteses”, disse.

O relator e a presidente da Comissão Mista de Orçamento (CMO), Flávia Arruda (PL-DF) se reuniram com o ministro da Economia, Paulo Guedes, nesta quarta-feira. Segundo Bittar, o objetivo é iniciar oficialmente o diálogo com o governo para construir a proposta de Orçamento.

“É importante que esse orçamento, em um momento tão delicado para o Brasil e para o mundo, seja feito com o máximo de equilíbrio. Desafio é achar uma convergência entre os poderes. É isso que o Brasil espera”, afirmou.

“Como sinal dessa boa vontade do Congresso Nacional, eu e a presidente Flávia estamos indo agora ao ministro Paulo Guedes para iniciar com ele oficialmente o diálogo de uma peça tão importante como a lei orçamentária”, explicou o relator.

Vídeos: saiba mais sobre o auxílio emergencial

Conteúdo retirado do site: G1 da Globo