Recentemente, o portal Cnet realizou testes de resistência com os novos aparelhos topo de linha da Samsung. E os resultados podem surpreender quem pretende utilizar uma das versões do Galaxy S21 sem um case de proteção.

De início, vale ressaltar que, apesar das semelhanças, é importante considerar que o material utilizado na parte traseira dos dispositivos muda entre as versões. Os modelos mais caros, S21 Plus e Ultra, são cobertos por vidro, enquanto a traseira do S21 tradicional é feita de plástico.

publicidade

Confira agora uma prévia de como foram os experimentos:

Em uma simulação comum, com celular escorregando do bolso do usuário e caindo no chão, já foi o suficiente para causar alguns estragos na tela do Galaxy S21. O aparelho caiu de quina, e o canto superior esquerdo do telefone absorveu a maior parte do impacto. O resultado foram rachaduras no ponto da queda.

O S 21 Ultra saiu praticamente ileso no primeiro teste, somente com alguns arranhões e parte da tinta removida na borda feita de metal. A única avaria na tela do aparelho foi uma pequena rachadura no display.

Já ao cair com a parte traseira para baixo, o plástico utilizado no S21 tradicional apresentou mais resistência, houve apenas algumas marcas perto da proteção dos sensores de câmera feita em metal, e as lentes não sofreram nenhum dano com a queda.

publicidade

Em contrapartida, o Galaxy S21 Ultra teve o vidro traseiro danificado, apresentando várias rachaduras desde o canto inferior esquerdo até o módulo que abriga os sensores de câmera do aparelho.

Pelo visto, realmente vale a pena investir em um case para proteger o aparelho. Optar por utilizar uma película frontal de qualidade também não é má ideia, já que de acordo com o portal, reparar a tela do Galaxy S21 pode sair por mais de US$ 200, cerca de R$ 1.075.

O teste completo de resistência com os novos aparelhos topo de linha da Samsung você aqui.

Conteúdo retirado do site: Olhar Digital