O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira (29) que poderá recriar ministérios se houver “clima” entre parlamentares com as vitórias dos candidatos apoiados pelo governo nas eleições para as presidências da Câmara e do Senado.

Bolsonaro deu a declaração durante encontro com atletas e parlamentares no Palácio do Planalto. Ele afirmou que, se tivesse conhecimento prévio do potencial de três secretários do governo, as secretarias de Cultura, Pesca e Esporte seriam ministérios.

O governo tem atualmente 23 ministérios, um a mais em relação ao início, em 2019, e oito a mais que os 15 prometidos durante a campanha eleitoral de 2018 (veja na imagem abaixo).

Slide da campanha de Jair Bolsonaro em 2018 sobre redução no número de ministérios — Foto: Reprodução

“Eu queria que hoje eu tivesse sido eleito presidente, porque algumas coisas a mais eu faria, outras eu não faria. Por exemplo: eu tenho três secretários, Marcelo [Magalhães, secretário de Esporte], que se eu soubesse do potencial de vocês, se eu tivesse mais conhecimento, com profundidade da importância, seriam ministério”, disse Bolsonaro.

Em outro trecho do discurso, o presidente abriu a possibilidade de recriar ministérios se houver “clima” no Congresso. O governo apoia o deputado Arthur Lira (PP-AL) e o senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG) nas eleições para as presidências da Câmara e do Senado na próxima segunda-feira (1º).

“Se tiver um clima no Parlamento, pelo que tudo indica as duas pessoas não é, Luiz Lima, que nós temos simpatia, devem se eleger, não vamos ter mais uma pauta travada. A gente pode levar muita coisa avante, quem sabe até ressurgir os ministérios, esses ministérios. Alguém pode falar: ‘Ah, quer criar ministério de novo.’ O tamanho do Brasil, só a Amazônia é maior que toda a Europa ocidental todinha”, disse Bolsonaro.

Bolsonaro elogiou no discurso o trabalho das secretarias da Pesca, Cultura e Esporte, abrindo a chance de voltar a dar status de ministérios às três estruturas.

A Secretaria de Aquicultura e Pesca, vinculada ao Ministério da Agricultura, foi ministério nos governos Lula e Dilma Rousseff. O atual secretário é Jorge Seif, que costuma participar das transmissões ao vivo do presidente nas quintas-feiras.

As secretarias da Cultura e do Esporte perderam o status de ministérios no início do governo Bolsonaro.

A área do Esporte, cujo secretário é Marcelo Magalhães, está vinculada ao Ministério da Cidadania.

A Secretaria da Cultura, comandada pelo ator Mário Frias, integrou a estrutura da Cidadania e atualmente faz parte do Ministério do Turismo. Antes de Frias, a atriz Regina Duarte foi a secretária da área.

VÍDEO: notícias de política

Conteúdo retirado do site: G1 da Globo