A Tesla está sendo investigada em nível federal após uma série de acidentes envolvendo carros elétricos da marca que poderiam estar usando ou não a tecnologia de piloto automático. A National Highway Traffic Safety Administration (NHTSA, ou Administração Nacional de Segurança Rodoviária, na tradução literal) confirmou que está apurando 23 ocorridos desse tipo.

Apesar do CEO Elon Musk comprovar a todo tempo segurança dos veículos, a Tesla enfrenta inúmeras questões sobre a tecnologia de direção autônoma desde 2016, quando um motorista da Flórida morreu em um trágico acidente. O sistema de sensores e câmeras do modo Autopilot falhou em ver e frear um trailer cruzando uma estrada.

publicidade

Acidente em Detroit, nos EUA, com Tesla pode ter sido causado por piloto automático. Imagem: MSP Fisrt District/Divulgação

O piloto automático é um sistema computadorizado que usa radar e câmeras para detectar marcação de faixas, outros veículos e objetos na estrada. A direção autônoma (nem tanto assim) pode dirigir, frear e acelerar automaticamente com pouca intervenção do motorista. Segundo a Tesla, o modo deve ser usado apenas em rodovias estruturadas, mas vídeos nas redes sociais mostram motoristas usando a tecnologia Autopilot em vários tipos de estradas.

“Precisamos ver os resultados das investigações primeiro, mas esses incidentes são os exemplos mais recentes que mostram que esses recursos avançados de controle que a Tesla tem não são muito bons em detectar e, em seguida, parar diante de um veículo que já está parado na rodovia”, disse Jason Levine ao NYT, diretor executivo do Center for Auto Safety, um grupo criado na década de 1970 que luta pelos direitos do consumidor focados somente no setor automotivo.

Leia mais:

Também ao NYT, o professor da Universidade da Carolina do Sul Bryant Walker Smith, que é conselheiro do governo federal sobre direção automatizada, disse que é importante desenvolver tecnologias avançadas para reduzir as fatalidades no trânsito – 40 mil por ano nos EUA, segundo as últimas estimativas -, mas que está preocupado em como o nome e o marketing da Tesla indicam que os motoristas podem “desviar com segurança sua atenção da estrada”.

“Há uma desconexão incrível entre o que a empresa [Tesla] e seu fundador [Elon Musk] estão dizendo e permitindo que as pessoas acreditem, e o que seu sistema é realmente capaz de fazer”, afirmou.

A Tesla, que encerrou seu departamento de relações públicas e geralmente não responde às perguntas da imprensa, não abordou publicamente os recentes acidentes e a investigação. Em nota, a empresa só argumenta que seus carros são muito seguros, alegando que os próprios dados mostram que os veículos da marca têm menos acidentes por quilômetro percorrido, “ainda menos quando o piloto automático está em uso”.

No entanto, o comunicado diz aos motoristas que eles devem prestar muita atenção à estrada ao usar o Autopilot e devem estar sempre prontos para retomar o controle de seus carros.

Acidente envolvendo Tesla
Acidente envolvendo Tesla na cidade de Detroit, nos Eua. Imagem: Charlie Langton/Twitter

Somente em 2021, já foram registrados três acidentes envolvendo Teslas nos EUA e a tecnologia de piloto automático. Neste mês, um Tesla Model Y bateu na traseira de um carro da polícia que havia parado em uma rodovia perto de Lansing, Michigan. O motorista, que não ficou gravemente ferido, estava usando o piloto automático, disse a polícia.

Em fevereiro, um outro acidente em Detroit teve circunstâncias semelhantes às do ocorrido em 2016, na Flórida. Um Tesla passou por baixo de um reboque de trator que cruzava a estrada, arrancando o teto do carro. O motorista e um passageiro ficaram gravemente feridos, mas as autoridades não confirmaram se o piloto automático estava ligado.

A NHTSA também investiga um acidente em 27 de fevereiro próximo à Houston (Texas), no qual um Tesla colidiu com um veículo policial parado em uma rodovia. Não foi confirmado se o motorista estava usando o piloto automático, porém o carro não pareceu desacelerar antes do impacto, segundo a polícia.

Fonte: New York Times

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Conteúdo retirado do site: Olhar Digital