O Botafogo faz sua pior campanha na história do Brasileirão na era dos pontos corridos. Além disso, está prestes a confirmar o rebaixamento à segunda divisão pela terceira vez em 20 anos.

Com aproveitamento de apenas 24% dos pontos em 32 rodadas, o Alvinegro atual tem marca pior aos índices dos rebaixados em 2002 (33,3%) e 2014 (29%).

O ex-presidente Carlos Augusto Montenegro participou ativamente da administração do futebol do clube em 2020 na gestão de Nelson Mufarrej, como membro do agora extinto Comitê Executivo de Futebol. Em contato com o repórter Luciano Paiva, do jornal “Meia Hora”, Montenegro prevê dificuldades para o Botafogo à frente.

“Total falta de dinheiro. Deve piorar ainda mais. Prefiro não falar”, disse o ex-dirigente.

Sobre as críticas que o Comitê Executivo tem recebido pela condução do futebol alvinegro, Montenegro disse concordar com algumas. Ele, entretanto, afirmou não estar mais participando da gestão atual.

“Estou totalmente fora. Algumas críticas merecidas, outras não”, finalizou.

A principal consequência do virtual rebaixamento da equipe será uma reformulação do futebol. Jogadores com salários mais altos, portanto, devem deixar o clube. Nomes como os goleiros Gatito Fernández e Diego Cavalieri, e o atacante Salomon Kalou encabeçam a lista.

Outros que não devem permanecer são o técnico Eduardo Barroca e o gerente de futebol Túlio Lustosa.

Deixe seu comentário

Conteúdo retirado do site: Gazeta Esportiva