Trabalhadoras rurais de Monte Negro descobrem em curso do Senar uma nova fonte de renda

Paulo Besse – da redação

Alguns gramas de dificuldade, uma colher cheia de coragem e uma pitada de empreendedorismo fizeram 11 mulheres do KM 84 da BR 421 em Monte Negro comemorarem novas conquistas. Como em uma receita de bolo, a vida financeira delas poderá mudar este ano depois que decidiram dar prioridade às aulas de confeitaria oferecidas pelo Senar em parceria com o Sindicato Patronal de Monte Negro.

11 mulheres do KM 84 NA BR 421 participaram do cursos gratuito e se profissionalizaram como confeiteiras

Graças a este trabalho, Cristiane Duarte de Holanda Fonseca vai poder garantir o aumento da renda da família e ajudar nas despesas da casa. “Trabalhando na fabricação dos bolos, eu e meu marido, poderemos ter uma renda melhor. Hoje dependemos apenas na venda do leite, e se melhorar vai ajudar muito” disse a agricultora.

“Virei à página”, afirmou Elizete Silvestre dos Reis. Em busca de algo que pudesse ajudar a dar uma reviravolta na vida dela, o curso de confeitaria chegou na hora exata para ela. “Agora que aprendi e me profissionalizei vou reservar dinheiro para investir na produção de bolos. Valeu muito ter participado do curso”, comemorou a dona de casa.

Ousadia

Poliana Matos, mobilizadora e presidente do Sindicato Rural de Monte Negro

O sucesso alcançado foi graças a uma dose de ousadia e olhar empreendedor da mobilizadora do Senar e presidente do Sindicato Rural de Monte Negro Poliana Matos. De acordo com Poliana Matos, as comunidades rurais são muito carentes e necessitam de cursos em que os moradores aprendam a produzir algum tipo de produto para poder vender e ajudar na renda da família. “Há muito tempo as mulheres dessa região pediam ao sindicato este curso de confeitaria. Agora, finalmente, pudemos atendê-las”.

Novos caminhos

Para a presidente do Sindicato Rural que trabalha em parceria com o Senar, as novas empreendedoras enxergaram uma nova oportunidade de negócio para a vida delas. Ela explica que as 11 mulheres que participaram do curso conseguiram identificar um novo caminho, diferente do qual elas começaram a trilhar no inicio do curso. “Agora, no final, muitas querem dar início ao próprio negócio”, afirmou.

Ela completa que atualmente o segmento de negócio está rápido e, por isso, é preciso saber identificar com agilidade as oportunidades.

“Tempo não tem volta e custa dinheiro. Por isso é preciso identificar a oportunidade de mercado e se mexer para ganhar clientes”. concluiu

A instrutora Inês Cristiane Lassen, veio de Porto Velho para o cursos

O curso, ministrado pela instrutora Inês Cristiane Lassen, resgatou as receitas de bolos mais conhecidos e regionais, com o objetivo de manter a cultura gastronômica local. As participantes aprenderam a selecionar os ingredientes, além de conhecer o processo de produção, misturas de ingredientes, dentre outros. Elas também foram orientadas sobre a importância da higienização, tipos de contaminação, segurança no trabalho e empreendedorismo.

Elizete Silvestre dos Reis foi uma das beneficiadas. A trabalhadora contou que sonhava em aprender a fazer todo tipo de bolos. Agora vai poder aumentar a renda vendendo os produtos que aprendeu a fazer no curso do Senar. “Superei todas as minhas expectativas. A instrutora foi muito atenciosa e com isso aprendi muito. Agora é só praticar em casa e pensar em começar um negócio. Só temos a agradecer o Senar e o Sindicato Rural que acreditou e investiu na ideia de trazer esse curso para quem mora aqui” disse Elizete.

VEJA AS FOTOS:

Deixe seu comentário